Produtivo

Técnica de enxertia eleva produção de borracha em Mato Grosso

A partir de 2010, Mato Grosso produzirá 2,3 toneladas de borracha seca por hectare/ano. No Sudeste Asiático, o maior produtor mundial, a produção é de 2 t/ha/ano. É o que afirma o agrônomo Roberto Yokoyama. Chegar a esse índice, diz ele, é resultado de 24 anos de experiências desenvolvendo enxertias com o tricomposto, técnica que cria uma planta com duas enxertias: uma para o caule, oriunda do clone malesiano RRIM 600, e o outra para a parte aérea, o IAN 6543, que resultou num material tolerante ao fungo Microcyclus ulei, do mal das folhas, e mais resistente aos ataques de ácaro e percevejos de renda.

A técnica do tricomposto não é novidade, mas em Mato Grosso está sendo bem sucedida. O agrônomo diz que “a sorte foi ter encontrado dois materiais que interagiram numa combinação perfeita”.

As experiências na Guaporé Agropecuária, em Pontes e Lacerda, começaram em 1985/1986, quando seis tipos de combinação com RRIM 600 foram instalados. Foram avaliadas 180 plantas. Em 1997 a experiência foi feita numa escala maior, em 500 hectares, com 500 plantas. Os resultados foram bons. Em uma década, essa produção cresceu 13,6%. Em 1999, a quantidade produzida nos seringais do Estado totalizou 26.400 toneladas e este ano subiu para 30 mil toneladas, para uma área plantada 11% menor. A meta é começar a produção de seringueira com o tricomposto em 6 mil hectares com seringal nativo, até atingir os 160 mil hectares.

Fonte: http://www.seringueira.com/artigos/?p=396