Suinos

Motivos para fazer o desmame precoce em leitões

A técnica da desmama precoce se baseia no fato de que os leitões se desenvolvem melhor e mais rapidamente, além de diminuir o risco por contaminação.

A técnica da desmama precoce se baseia no fato de que os leitões, quando são separados da mãe ainda muito novos, ficam menos sujeitos a infecções ou infestações por vermes, principalmente transmitidos pela própria mãe e se desenvolvem melhor e mais rapidamente.

A idade mais susceptível às doenças bacterianas e viróticas é, geralmente, depois da segunda semana após o nascimento, coincidindo com a queda dos níveis de imunoglobulinas fornecidas passivamente. Se o desmame for feito em torno da segunda semana, há grande chance de se conseguir leitões com reduzida carga de bactérias, resultando em leitões com altos níveis de saúde.

A desmama precoce, com 7 a 16 dias, possibilita ainda que as porcas tenham um maior número de ninhadas por ano, desde que submetidas a um manejo adequado, pois não interfere com os mecanismos do cio, da concepção e da gestação, antes de 10 dias após a desmama.

Para o leitão desmamado antes de atingir três semanas de vida, é necessário um controle rigoroso de saúde, tornando-se indispensável um ambiente bem melhor, principalmente em relação à temperatura, à umidade e à ventilação, o que exige um investimento de capital adicional, para adaptar as instalações já existentes ou para a construção de novas instalações especiais para leitões desmamados precocemente.

Outra vantagem na técnica está relacionada à menor produção de substância mediadoras de processos inflamatórios e maior liberação do hormônio de crescimento.

Em uma pesquisa realizada no Canadá, os autores compararam o desempenho produtivo de granjas que praticaram o desmame aos 22 dias e outras que realizaram o desmame segregado aos 15 dias. Os animais desmamados e segregados apresentaram melhor ganho de peso e maior eficiência alimentar, atingindo o peso de abate cerca de uma semana antes em relação àqueles desmamados de modo convencional. No entanto, os autores concluíram que ambos os rebanhos apresentaram bons resultados de desempenho.

Contudo, sua implementação em rebanho menores, de 200 a 300 matrizes, torna-se mais difícil devido aos custos referentes à mão-de-obra e necessidade de cuidados mais intensivos na creche. Também destacam-se os problemas de adaptação à creche dos leitões fracos e pequenos com bebedouros e ração. O transporte dos leitões, se mal feito, pode afetar o desempenho dos animais em virtude do stress causado.

Apesar de aumentar o número de ninhadas obtidas em um ano, há uma tendência de diminuição do número de leitões por ninhadas, fato esse relacionado à precocidade de desmamas anteriores, reduzindo-se assim a vantagem potencial do número de desmamados por fêmea/ano, obtidos pelo emprego da desmama precoce.

Fonte: http://www.informativorural.com.br/conteudo.php?tit=motivos_para_fazer_o_desmame_precoce_em_leitoes&id=125