Suinos

Uso do arroz na alimentação dos suínos

Uso de arroz na alimentação de suínos

Na alimentação de suínos o arroz é usado em forma de farelo integral, farelo desengordurado e quirera.

1. Farelo de arroz integral
Representa cerca de 13% do peso dos grãos. Apresenta composição química variável em função do tipo de processamento. Os teores de proteína, fibra bruta e de extrato etéreo são superiores ao milho. O amido e a gordura são as principais fontes de energia do farelo de arroz. A proteína é rica em aminoácidos sulfurosos e tem a lisina e a treonina como aminoácidos mais limitantes. O conteúdo de gordura é rico em ácidos graxos insaturados facilmente peroxidáveis (rancificáveis), como o ácido palmítico, linoléico e oléico. A peroxidação da gordura pode reduzir o valor nutricional do alimento, principalmente em relação aos aminoácidos e as vitaminas, além de causar problemas gastrointestinais nos animais, como diarréia em leitões. Pode ser evitada adicionando-se antioxidantes, como o etoxiquim, BHA ou BHT.
Os fatores que limitam o uso na alimentação de suínos são a presença de casca, que tem alto teor de celulose e sílica, os oxalatos e fitatos, que são fatores antinutricionais, e o alto teor de fósforo.
Recomenda-se níveis de até 30% da dieta para as fases de crescimento, terminação e para porcas em gestação.

2. Farelo de arroz desengordurado
O farelo de arroz desengordurado representa cerca de 82% do peso farelo de arroz integral. Apresenta teores de proteína e fibra bruta superiores, e teores de extrato etéreo e energia digestível inferiores, quando comparados ao milho.
Devido ao baixo teor de gordura, não apresenta os problemas de deterioração observados no farelo de arroz integral.
O uso na alimentação de suínos é limitado pelo alto teor de fibra bruta e de fósforo. Pode ser incluído em até 20% nas dietas de porcas em gestação e em até 30% para as fases de crescimento e terminação.

3. Quirera de arroz
No beneficiamento do arroz, a quirera representa cerca de 10% do total do peso dos grãos. Possui valor nutricional similar ao milho.
Para suínos só há restrições de uso para leitões, onde se recomenda inclusão de até 25% da ração.

Fonte: http://www.suinoculturaindustrial.com.br/PortalGessulli/AppFile/Material/Tecnico/alimentosuino.pdf