Suinos

Suíno Vivo: Semana começa com reação de preços no RS e PR

Publicado em 17/08/2015

Nesta segunda-feira (17), os preços para o suíno vivo voltaram a reagir em algumas das principais regiões produtoras, como Paraná e Rio Grande do Sul. No final da semana anterior, houve um aumento na comercialização e as cotações começaram a esboçar reação apesar da chegada da segunda quinzena do mês.

No Paraná, a bolsa de suínos definiu um novo valor, com alta de R$ 0,05 em relação a semana anterior. Com isso, o estado passa a negociar a R$ 3,17 pelo quilo do vivo.  No Rio Grande do Sul, a pesquisa semanal realizada pela Acsurs (Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul) demonstrou uma nova alta, também de R$ 0,05. Por lá, os produtores independentes estão recebendo em uma média de R$ 3,19 por quilo. Aos suinocultores integrados a alta foi de R$ 0,01, com média de R$ 2,86/kg.

A Bolsa de Comercialização de Suínos do Estado de São Paulo “Mezo Wolters”, que apresentou aumento na referência na última semana, optou pela manutenção de preços para esta. A arroba suína está valendo entre R$ 66 e R$ 67 no estado, valores equivalentes a R$ 3,47 a R$ 3,52 por quilo. Na última semana, a praça havia apresentado negócios acima da referência, segundo a APCS (Associação Paulista de Criadores de Suínos), com uma venda de 660 animais a R$ 68/@ em Brotas (SP).

Em Santa Catarina, na última semana também houve a manutenção de preços. Para esta, as expectativas são positivas devido a uma melhora na comercialização na última quinta-feira. Segundo o presidente da ACCS (Associação Catarinense de Criadores de Suínos), Losivânio de Lorenzi, houve uma procura maior pelo abate de animais, inclusive com agroindústrias procurando comprar de suinocultores independentes.

Exportações

Nesta segunda-feira, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) trouxe os números de exportação de carne suína in natura, referentes as duas primeiras semanas de agosto, totalizando dez dias úteis.  Em volumes os embarques chegaram 21,1 mil toneladas, com média diária de 2,1 mil toneladas. Em relação a semana anterior, houve um ligeiro recuo, quando a média estava em 2,7 mil toneladas. Em receita, o acumulado aponta para US$ 55,8 milhões, com média de US$  5,6 milhões.

» Acesse as cotações na íntegra para o suíno vivo

Por: Sandy Quintans
Fonte: Notícias Agrícolas