Suinos

Suíno Vivo: Alta de 1,58% na cotação do Paraná nesta semana; RS perde 1 centavo na referência

Publicado em 17/07/2015

Nesta semana os preços do suíno vivo apresentaram um cenário de volatilidade, enquanto algumas praças mantiveram sua referência, o estado do Paraná registrou valorização de 1,58% na cotação e o Rio Grande do Sul caiu 0,32%.

No mercado gaúcho o preço do suíno baixou R$ 0,01 esta semana, ficando em R$ 3,14 o preço pago pelo quilo do suíno vivo ao produtor independente. A bolsa de suínos de Minas Gerais manteve a referência semanal em R$ 3,70/kg, informou na quarta-feira (15) a Associação dos Criadores de Suínos (ASEMG).

Variação Semanal Suíno Vivo - 17/07/15

Assim como Minas, a bolsa de suínos de São Paulo também opera no mesmo patamar da semana anterior de R$ 65,00 / R$ 66,00/@, condições Bolsa, o que equivale a R$ 3,47 – R$ 3,52 o quilo. No entanto, as expectativas para as próximas semanas são positivas, um aumento na demanda interna por conta do frio, e uma recuperação das exportações, devem impulsionar as cotações, considera Valdomiro Ferreira Junior, presidente da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS).

Além disso, as expectativas de recuperação das exportações no segundo semestre também devem alavancar os preços. Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) projetou para 2015 um aumento de até 3% nos embarques, com destaque para a Rússia – que segue como principal comprador do produto nacional.

No Paraná, as cotações já refletem esse aumento e a referência semana fechou em alta na segunda-feira (13), após quatro semanas consecutivas de queda. Com valorização de 1,58% o quilo do suíno vivo pago ao produtor independe passa a ser cotado a R$ 3,22 contra R$ 3,17 da semana passada.

Quanto aos embarques brasileiros de carne suína, a Secretária de Comércio Exterior (Secex), informou que as exportações da segunda semana de julho (oito dias úteis) apresentaram um acréscimo de 34,5% na comparação da média diária de julho com o mês anterior.

Em volume as exportações alcançaram no acumulado do período 20,8 mil toneladas, com uma média diária de 2,6 mil t. Nos oito dias úteis a receita foi de 57,8 milhões de toneladas, embarcando diariamente US$ 7,2 milhões, ou seja, 37,3% a mais do que o mesmo período do mês passado.

Custos de Produção

O ICPSuíno/Embrapa no mês de junho teve uma alta de 0,90% na comparação com o mês anterior. De acordo com levantamento da Embrapa o custo total foi de 173,82 pontos, alta de 0,90%. Nos últimos doze meses, o índice variou 2,73%. A ração compõe 74,35% dos custos, e em segundo lugar vem às instalações e equipamento com 8,24%.

De acordo com o Centro de Pesquisas Aplicadas (Cepea), o poder de compra do suinocultor voltou a recuar no mês de julho. Os preços do suíno vivo caíram, tanto em relação ao mesmo intervalo de junho como frente à primeira quinzena de julho/14. Já os valores pagos pelos principais insumos da atividade (milho e farelo de soja) subiram em iguais comparativos, informou o Cepea em seu boletim semanal.

Confira como ficaram os preços do suíno vivo nesta sexta-feira (17):

Cotação Suíno vivo - 17/07/15

Por: Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas