Curiosidades

Spray simula odor humano em bovinos e confunde mosquitos transmissores de doenças

10/06/2014

 

Uma estratégia inusitada está sendo desenvolvida pela Isca Tecnologias para evitar que seres humanos sejam infectados pela malária e outras doenças. O spray contém um semioquimico que faz com que as vacas tenham o mesmo odor dos humanos – o que atrai os mosquitos para os bovinos (que são imunes à doença).

O projeto está sendo financiado pela Fundação Bill e Melinda Gates, que através da iniciativa “Grand Challenges Explorations” repassou à Isca uma verba de US$ 100 mil para desenvolver a tecnologia. Cerca de 3,4 bilhões de pessoas estão expostas ao risco de contrair malária, segundo aponta a Organização Mundial de Saúde.

Agenor Mafra-Neto, cientista reconhecido em ecologia química e presidente fundador da Isca Tecnologia, já projeta testes na Califórnia e, em seguida, no Quênia. A projeção é de que o custo do spray fique em torno de um dólar por animal, mas ele afirma que ainda trabalha para reduzir o custo total, a fim de que a tecnologia seja usada em regiões como a África Subsaariana e o Sudeste Asiático, onde a malária é um problema generalizado.

“Quando descobrimos que podemos manipular o odor que um animal, mudando o seu perfil a ponto de ser confundido com um ser humano, e que ele passe a atrair os mosquitos (que de outra forma estariam transmitindo doenças), vimos que tínhamos uma ferramenta extremamente poderosa em nossas mãos”, conta Mafra-Neto.

“Este animal pode ser tratado com inseticida, matando os mosquitos atraídos. Desse modo podemos quebrar o ciclo de transmissão de várias doenças transmitidas por insetos vetores. O respaldo financeiro da Bill and Melinda Gates Foundation é extremamente importante para levarmos essas experiências para o campo”, conclui o pesquisador.

 

Fonte: Agrolink
Autor: Leonardo Gottems