Soja

Soja: Produtor colhe 15% a mais, com inovação tecnológica em fósforo

Produtores de diferentes regiões do País começam a contabilizar os resultados da adoção de uma nova tecnologia de aplicação e disponibilização de fósforo nas lavouras

A inovação consegue fazer com que elevadas quantidades de fósforo aplicado no solo sejam de fato disponibilizadas às plantas, o que não acontece no processo tradicional, onde o fósforo tem eficiência média de apenas 45%.

O novo fertilizante, que leva o nome Top-Phos  incorpora uma molécula orgânica que se liga ao fósforo através de uma ponte metálica , impedindo sua reação com Alumínio, Ferro e outros componentes do solo.  Sem risco de neutralização, toda a força do nutriente fica disponível, para ser  aproveitada pela planta.

Acréscimo de 18 sacas/alqueire

Edgar Alexandre Schebeski plantou 50 alqueires de soja em Biscaia, município de Ponta Grossa, no Paraná. Em 25 alqueires, ele aplicou Top-Phós e na outra metade da área, que ficou como testemunha, fez adubação convencional.

“Desde o começo as plantas da área com Top-Phós despontaram melhor em tamanho. Elas eram de um verde mais escuro, enquanto as da área testemunha tinham um verde pálido. As plantas bem estruturadas renderam mais e com grãos mais pesados”, conta Edgar Alexandre.

Segundo suas contas, a área de 25 alqueires onde foi utilizado o Top-Phós rendeu 137 sacas por alqueire, enquanto a área testemunha, com a mesma cultivar de soja e adubação convencional, produziu 119 sacas por alqueire.

Na contabilidade de Edgar Alexandre, o investimento em Top-Phós não chegou ao valor equivalente a 4,5 sacas por alqueire. Se considerar esse número, seu ganho com a nova tecnologia correspondeu a 13,5 sacas de soja por alqueire. À cotação de R$ 45 à saca, seu lucro adicional foi de R$ 607,50 por alqueire ou R$ 15.187,50 em todos os 25 alqueires adubados com Top-Phós.

“A nova tecnologia de aplicação de fósforo superou as nossas melhores expectativas”, diz Edgar Schebeski, que já tomou uma decisão. Na próxima safra, garante que vai utilizar a nova tecnologia de adubação com fósforo em toda a lavoura de soja.

Ganhos significativos

José Valderez Mendez e Celso de Oliveira Mendez, proprietários da Fazenda Bela Vista, em Wenceslau Braz (PR) também comemoram os resultados da adoção da nova tecnologia em grande escala. Eles adubaram 75 alqueires com Top-Phós, deixando 10 alqueires como testemunha.

Ao final da colheita, a área com o novo fósforo rendeu 163 sacas de soja por alqueire. Os dez alqueires cultivados com a mesma semente, mas sem o novo produto, produziram 155 sacas por alqueire.

Paulo Gulhão, de Nova Fátima, também no Paraná, plantou 21 alqueires com Top-Phos e colheu a média de 180,9 sacas de soja por alqueire, enquanto a área-testemunha rendeu a média de 172 sacas por alqueire.

Segundo o agrônomo Marco Justus, diretor da Unidade Paraná da Timac Agro, empresa responsável pelo desenvolvimento da nova tecnologia, os resultados positivos se repetem nos diferentes estados e em diferentes culturas. “Os números colhidos a campo e em grande escala apenas repetem a validação dos experimentos e pesquisas”, observa.

Sobre a TIMAC Agro

A TIMAC Agro, responsável pelo desenvolvimento da inovação tecnológica em fósforo, pertence ao grupo frances Roullier. É um dos grandes players mundiais do segmento de fertilizantes. Está presente em 40 diferentes países, onde opera 60 unidades industriais e conta com mais de 6.000 colaboradores. No Brasil, a empresa gera 800 empregos diretos e opera três grandes fábricas (Rio Grande – RS, Candeias – BA e Santa Luzia do Norte – AL), onde  produz fertilizantes específicos e convencionais. Conta também com uma moderna fábrica de fertilizantes líquidos situada em Rio Grande – RS.

Um dos aspectos que diferenciam a Roullier dos demais players mundiais do setor está no oferecimento de produtos tecnologicamente avançados diretamente ao produtor rural, o qual recebe todo o apoio técnico necessário para que ele tenha a solução ideal para seu problema.

O Grupo Roullier tem faturamento anual da ordem de 2 bilhões de euros. Investe mais de dez milhões de euros anuais em pesquisa química e industrial. Além de ensaios e pesquisas nas condições de solo e clima das diferentes regiões produtoras, o  Grupo investe fortemente em pesquisa e desenvolvimento, com uma equipe de 150 pesquisadores (biólogos, químicos e agrônomos) atuando em dois modernos centros de pesquisa e desenvolvimento de produtos sediados na França e outro na Espanha e um centro de pesquisa de processos Industriais na França

Estes três centros de pesquisas trabalham para o mesmo objetivo: identificar os eventos mais relevantes em termos de inovação agronômica a fim de descobrir e oferecer novas especificidades e meios de diferenciação que resultem em ganhos de produção e produtividade. Além disso, o Grupo Roullier trabalha em parceria com universidades e institutos de pesquisas no mundo inteiro como forma de garantir acesso a novas tecnologias. A posição de vanguarda no desenvolvimento de inovações e novas tecnologias é reflexo desta postura, mantida ao longo de sua história que já completou 50 anos. Para maiores detalhes,  www.timacagro.com.br

Fonte:  http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php?tit=soja_produtor_colhe_15_a_mais,_com_inovacao_tecnologica_em_fosforo&id=54588