Soja

Soja Intacta deve ocupar 40% da área da Grande Dourados (MS)

27/05/2014

A previsão é de que de 35 a 40% da área destinada ao plantio de soja na região da Grande Dourados seja ocupada com plantas com a ‘Tecnologia Intacta RR2 PRO’. A informação é do engenheiro agrônomo Thomaz A. Gonçalves, representante de campo da Monsanto em Dourados, empresa que desenvolveu a tecnologia.

Thomaz palestrou na noite desta segunda-feira no auditório do GPP (Grupo Plantio na Palha) no Parque de Exposição João Humberto de Carvalho sobre a tecnologia. O evento, fazendo parte da 50ª Expoagro (Exposição Agropecuária Industrial de Dourados), é promovido pelo Sindicato Rural de Dourados. O tema foi ‘Exposição Técnica II – Agricultura’.

De acordo com Thomaz, a tecnologia começou a ser testada no campo na safra 2011/12 em ambiente controlado. De lá pra cá a Monsanto vem entendendo o crescimento da produtividade e trabalhando o posicionamento da tecnologia.
Segundo Thomaz, a tecnologia provou um incremento médio na produção de soja de 6,34 sacas por hectare. O custo é de R$ 115,00 por hectare. De acordo com o agrônomo, existem hoje no mercado brasileiro 8 empresas licenciadas para produzir as sementes com a tecnologia RR2 PRO.

Com relação à comercialização, todos os países que tem relação comercial com o Brasil já compram a soja produzida com a tecnologia RR2 PRO. “A China foi o último país a aprovar a compra desse material e já a faz desde o ano passado”, disse.

Thomaz alertou para a importância de se fazer o refúgio, como ferramenta essencial para garantir que todos aproveitem ao máximo os benefícios da tecnologia. O plantio de áreas de refúgio com soja não Intacta RR2 PRO dificulta o estabelecimento de insetos resistentes e preserva a eficácia da tecnologia ao longo do tempo.

A Tecnologia Intacta RR2 PRO é a segunda geração de transgênicos. Foi adaptada para o mercado brasileiro ao longo dos últimos onze anos. Alia três benefícios juntos. O primeiro é o resultado de produtividade sem precedentes, devido a tecnologias avançadas no mapeamento, seleção e inserção de genes em regiões do DNA com potencial impacto positivo na produtividade. O segundo é a proteção às principais lagartas que atacam a cultura da soja; e o terceiro a tolerância ao glifosato proporcionada pela tecnologia Roundup Ready® (RR).

A soja desenvolvida com essa tecnologia é eficaz contra as quatro principais lagartas que atacam a cultura da soja – lagarta da soja (Anticarsia gemmatalis), lagarta falsa medideira (Chrysodeixis includens e Rachiplusia nu), broca das axilas, também conhecida como broca dos ponteiros (Crocidosema aporema) – e lagarta das maçãs (Heliothis virescens). Também exerce supressão à lagarta do tipo elasmo.

Fonte: Agora MS