Leite

Sistemas de Alimentação de Bezerros ( Gado Leiteiro )

Alimentação de bezerros

Ao nascer, o bezerro é um monogástrico com o estômago apresentando características diferentes do ruminante adulto, não sendo capaz de utilizar alimentos sólidos, tem reflexo para mamar e tem todas as condições fisiológicas e bioquímicas para utilizar o leite. Sob condições normais de alimentação e manejo, em sessenta a noventa dias este bezerro se transforma em ruminante com habilidade para sobreviver com alimentos volumosos e concentrados, com o rúmen-retículo apresentando atividade microbiana relevante, desenvolvimento de papilas em suas paredes e capacidade de absorção de nutrientes pelas paredes desse compartimento do rúmen.

Aleitamento

A fase de aleitamento pode ser natural ou artificial.

No aleitamento natural o bezerro obtém o leite mamando diretamente no úbere da vaca, podendo ou não ser controlado . Este sistema deve ser adotado em propriedades cujo plantel é formado por rebanhos puros ou de alto grau de sangue das raças zebuínas, onde é comum as vacas “esconderem o leite” na ausência do bezerro, quando ordenhadas. Outras condições são a produtividade média diária de leite por vaca inferior a 8 kg  e mão-de-obra ineficiente quanto à higiene necessária para se aleitar bezerros artificialmente.
Quando o método de aleitamento usado for o natural, há sugestões de que a amamentação seja restrita, pois oferece maiores benefícios no desempenho das vacas e dos bezerros se  comparada à amamentação natural sem restrição ou controle.
O aleitamento artificial consiste em fornecer a dieta líquida em balde, mamadeira ou similar. Este sistema permite racionalizar o manejo dos animais, ordenhar com mais higiene e controlar a quantidade de leite ingerida pelo bezerro.
Em ambos os tipos de aleitamento, o importante é:
1. Fornecer colostro o mais rápido possível, pois esta é forma de garantir a sobrevivência do bezerro nas primeiras semanas após o nascimento, fornecendo os anticorpos. A maneira mais eficiente é fazer o bezerro mamar o colostro na vaca logo após o nascimento.  Quando fornecido no balde, usar o colostro integral, permitindo a ingestão de 5 a 6 kg de colostro;
2. Na fase de aleitamento, o alimento natural do bezerro é o leite integral que por seu valor comercial pode ser substituído pelo colostro excedente ou utilizar um sucedâneo comercial do leite, normalmente vendido na forma de pó;
3. Fornecer 4 litros/animal/dia qualquer que seja a dieta líquida usada, que deverá ser fornecida em duas refeições diárias durante a primeira semana de vida do animal. A partir daí, uma vez ao dia, de manhã ou à tarde, conforme mais conveniente para o produtor;
4. Quantidade fornecida, regularidade no horário e na temperatura da dieta líquida são muito importantes para evitar distúrbios gastrointestinais;
5. Realizar a desmama ou desaleitamento precoce, que se destina a transformar o bezerro de monogástrico em ruminante o mais cedo possível
6. Fornecimento de concentrado e volumoso.
Fornecimento de Concentrados
O concentrado inicial a ser fornecido aos bezerros do nascimento até os 60 ou 70 dias de idade, independentemente do sistema de aleitamento empregado, deve ter na sua composição alimentos considerados de excelente qualidade, como grãos de milho, raspa de mandioca, farelo de soja, farelo de algodão e misturas minerais e vitamínicas
Concentrados com grãos que sofreram tratamento térmico e/ou vapor, e aqueles na forma de pellets, aumentam a digestibilidade e estimulam seu consumo precoce.
A partir dos 70 dias, pode-se usar concentrados de menor custo. Muito embora alguns estudos demonstrem ser viável a utilização de uréia nos concentrados iniciais para bezerros, recomenda-se o seu uso somente após os três meses de idade, quando o rúmen estará desenvolvido o suficiente para utilizar o nitrogênio não-protéico da dieta.
Após o desaleitamento, o consumo de concentrado aumentará rapidamente, devendo-se limitar a quantidade fornecida para estimular o consumo de volumoso. Tem-se sugerido o fornecimento de 1 a 2 kg de concentrado com 12% de proteína bruta e 66% de nutrientes digestíveis totais – NDT, dependendo da qualidade do alimento volumoso utilizado.
É importante verificar a condição do concentrado que sobrou, que se  molhado ou mofado, deve ser removido; se seco e em boas condições, pode  permanecer.
Fornecimento de Volumoso
Os alimentos volumosos são muito importantes para o desenvolvimento fisiológico, do tamanho e da musculatura do rúmen, principalmente para os dois últimos. Um bom volumoso, feno ou verde picado, deve ser fornecido desde a segunda semana de idade. Em escala de importância, para bezerros, antes dos três meses de idade, bons fenos são melhores que bons alimentos verdes picados, que, por sua vez, são melhores que boas silagens. Esta é uma recomendação de ordem geral, já que a qualidade do alimento é extremamente importante na determinação do consumo. Antes dos três meses de idade, o uso de alimentos fermentados, como silagens, não é recomendado, uma vez que o consumo será insuficiente para promover o desenvolvimento do rúmen e o crescimento do animal.
Fornecimento de Água
A água disponível deve estar limpa e fresca. Se forem usados baldes para dar de beber aos animais, a água deve ser renovada diariamente.
Recomenda-se que os bezerros tenham, à sua disposição, desde a primeira semana de idade, água fresca e limpa, porque há evidências de maior consumo de concentrado pelos animais assim manejados.
Desaleitamento ou Desmame dos Bezerros
As maiores vantagens da desmama ou do desaleitamento precoce são as reduções no custo da alimentação, da mão-de-obra e não-ocorrência de distúrbios gastrointestinais. Quando o bezerro estiver consumindo 600 a 800 g de concentrado por dia, de maneira consistente, ele estará pronto para ser desaleitado ou desmamado, independentemente de sua idade, tamanho ou peso.
Independentemente do sistema de criação adotado, não há razão, do ponto de vista do bezerro, do fornecimento da dieta líquida ser superior a oito semanas. Recomenda-se o desaleitamento abrupto, não sendo necessária a redução gradativa da quantidade de leite oferecida para os bezerros, prática trabalhosa, principalmente à medida que aumenta o número de bezerros.
Os bezerros devem permanecer na sua instalação por mais duas semanas, após o corte da dieta líquida, recebendo água e alimentos sólidos. Assim, eles perderão o hábito da dieta líquida com menor estresse, e será possível observar como eles reagiram à desmama ou ao desaleitamento.  Outro fator de importância é a não-ocorrência de estresse por competição, se mudados imediatamente após a desmama,  para instalações coletivas (baias ou pasto) .
Dicas importantes:
.
observe o bezerro, cuidadosamente, todos os dias
.               verifique o olhar do bezerro:
olhar vivo significa saúde;
.               verifique a existência de corrimento nasal:
o desejável é não haver corrimento nasal;
.               verifique a consistência das fezes:
as fezes devem estar sólidas;
.               verifique o apetite dos bezerros.
bezerros sadios bebem a dieta líquida com avidez,  e não descuide da
. pese o bezerro ao nascer e ao desaleitamento ou à desmama. Calcule o ganho de peso médio diário
Cálculo do ganho de peso médio diário (GPMD)
GPMD (kg/dia) =      (peso ao desaleitamento – peso ao nascimento)¸ número de dias entre o
desaleitamento e o nascimento
Observação: O ganho de peso médio diário deve ser superior a 0,350 kg por dia.
Anote, na ficha individual do bezerro, os pesos e quaisquer problemas ocorridos com o bezerro
Fonte: Embrapa CNPGL
 enviar por email     imprimir    compartilhe: Favoritos      Comente!