Notícias

Sistema OCB recebe representantes do cooperativismo alagoano

Brasília (27/2) – A diretoria da Organização das Cooperativas Brasileiras em Alagoas (OCB/AL) foi até Brasília junto com o presidente da Cooperativa dos Produtores de Leite de Alagoas (CPLA), Aldemar Monteiro, pedir apoio à unidade nacional da OCB para a elaboração de plano de viabilidade econômica e financeira de Unidade de Beneficiamento de Leite do Agreste, que deve entrar em atividade até o final de março deste ano. O presidente do Sindicato das Indústrias de Laticínio de Alagoas, Arthur Vasconcelos, também esteve presente.

“O plano de viabilidade econômica e financeira é tão importante quanto outros como o de engenharia de ampliação e de viabilidade ambiental. Mas ele é o único que ainda não conseguimos dar início e viemos até a unidade nacional da OCB ver como a organização pode nos ajudar”, explica Aldemar Monteiro, presidente da CPLA, cujo número de sócios produtores ultrapassa quatro mil.

O grande benefício desse estudo é conseguir visualizar, por meio de projeções e números, o real potencial de retorno do investimento que será feito na fábrica de leite e no desenvolvimento dos produtores do setor.

“Um plano como esse é imprescindível por ser capaz de avaliar se as premissas do projeto são interessantes e viáveis. Para realizá-lo deve-se passar por etapas como projeção de receitas, de custos e investimentos e analisar os indicadores. Com isso chegamos à conclusão da viabilidade do projeto”, pontua Marcos Rocha, presidente do Sistema Cooperativo alagoano.

Na reunião ficou definido que a Câmara de Leite da unidade nacional da OCB fará um levantamento por todo o país de projetos bem sucedidos neste ramo e dos consultores responsáveis por sua execução. “Essas pessoas serão identificadas e em seguida convidadas a trabalhar no plano de viabilidade econômica e financeira da Unidade de Beneficiamento de Leite de Alagoas”, afirma Vicente Nogueira, coordenador da Câmara de Leite.

O presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, e o governo do Estado de Alagoas, por meio do secretário de Estado da Agricultura, Pesca e Aquicultura colocaram-se à disposição para o que fosse necessário. “A capacidade de produção e de consumo do Nordeste vem mudando a forma como olhamos para a região. É inegável o seu crescimento e nós queremos contribuir ainda mais”, pontua Márcio Freitas.

Fonte: Assimp Sistema OCB/AL