Suinos

Sindicato Rural de Campo Grande realiza Encontro de Tecnologias para Pecuária de Corte

08/04/2016

Que a linguiça de Maracaju é um dos produtos sul-mato-grossense mais conhecido no País, isso não é novidade. Mas, desde a última terça-feira (05), um dos ícones da culinária de Mato Grosso do Sul passou a possuir o registro de IG – Indicação Geográfica. O reconhecimento, que abrirá portas para a iguaria no mercado internacional, é comemorado pelo Sistema FAMASUL – Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul.

O selo é conferido pelo Inpi – Instituto Nacional de Propriedade Industrial que  é a instituição que concede o registro e emite o certificado. “É uma conquista não só para o município, mas para todo o estado. Este sucesso é mais do que merecido e servirá para levar a outros países o nome da nossa já famosa Linguiça de Maracaju, fruto da tradição da qual tanto nos orgulhamos”, afirma o presidente do Sistema FAMASUL, Mauricio Saito.

O IG é conferido a produtos ou serviços que são característicos do seu local de origem, o que lhes atribui reputação, valor intrínseco e identidade própria, além de os distinguir em relação aos seus similares disponíveis no mercado, como mostram as informações do Ministério da Agricultura.  Outro produto que recebeu o selo é o mel do pantanal produzido em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

São produtos que apresentam uma qualidade única em função de recursos naturais como solo, vegetação, clima e saber fazer (know-how ou savoir-faire).

O Ministério da Agricultura é uma das instâncias de fomento das atividades e ações para Indicação Geográfica (IG) de produtos agropecuários.  Existem duas espécies ou modalidades de Indicação Geográfica: “Indicação de Procedência (IP)” e “Denominação de Origem (DO)”. No caso tanto do mel do Pantanal, como a linguiça de Maracaju, a modalidade de IG é denominação de origem.

Fonte: Canal do Produtor