Milho

Silagem de milho, combinando volume com qualidade

Por Rafael Seleme – Engenheiro Agrônomo e Gerente de Marketing Técnico da Pioneer Sementes

Como escolher corretamente os híbridos de milho para silagem

A seleção dos híbridos é o primeiro passo para se obter uma silagem com alta qualidade. Os híbridos para produção de silagem possuem características agronômicas especiais como a menor participação de fibras e conseqüente melhor digestibilidade e maior produção de grãos, componente este responsável pela energia da silagem.

Quando o plantio dos híbridos é combinado com adequadas práticas de manejo por meio de uma correta adubação, população de plantas, além de outras, com o processo de ensilagem, observando o período ideal de corte, tamanho das partículas, compactação, tempo de vedação, dentre outras, têm-se como resultado a produção de silagens de alta qualidade.
Neste contexto, o Sistema de Combinação de Híbridos torna-se ferramenta-chave no planejamento para produção de silagem de alta qualidade com maior produção de matéria verde (MV) e matéria seca (MS) com maior valor energético (NDT – Nutrientes Digestíveis Totais). O Sistema de Combinação de Híbridos permite maior janela de corte criando um ambiente favorável para que a lavoura de milho seja cortada dentro da faixa ideal proporcionando um trabalho sem atropelos e maximizando a estrutura da propriedade.

Sistema de Combinação de Híbridos – Ampliando a Janela de Corte

De forma geral, o ponto ideal de corte se dá quando os grãos de milho atingem o estádio de farináceo-duro, momento em que a planta acumula a maior quantidade de matéria seca (MS) de melhor qualidade nutricional, podendo variar seus teores de MS entre 32% e 38%.
Neste estádio da lavoura, com 50% da linha do leite, colhe-se 95% dos grãos e 100% da forragem que o milho pode produzir. Na Tabela 1, verifica-se que quanto mais cedo se colhe o milho para silagem, menor é a participação de espigas e, por conseqüência menos grãos, o que produzirá uma silagem com teor de energia e qualidade abaixo da capacidade real da lavoura, simplesmente por uma decisão errada do momento de cortar a lavoura.
 
 
 
 
Esta prática, o corte antecipado da silagem, sob o ponto de vista econômico, implica no aumento dos custos de produção, pois silagens de baixo valor energético demandam maiores quantidades de concentrado na dieta para atender as exigências nutricionais dos animais.
A maneira mais eficiente de garantir que a lavoura será cortada no ponto ideal é ampliar a janela de corte através do uso do Sistema de Combinação de Híbridos. O plantio de diferentes híbridos com características especiais para silagem e com diferentes ciclos deve ser um recurso utilizado pelo agricultor.
Esta prática permite que a janela de corte seja o maior possível, aumentando a probabilidade de que o corte da lavoura seja feito dentro do melhor período, ou seja, entre 32% a 38% de MS (grão farináceo-duro ou 50% da linha do leite). Isso assegurará uma silagem com maior qualidade e com mais energia.
Observe no Gráfico 1, um exemplo do uso do Sistema de Combinação de Híbridos na ampliação da janela de corte, considerando que os híbridos foram plantados na mesma época/data.
 

De acordo com os dados apresentados, é possível afirmar que, em média, principalmente em função de condições ambientais como temperatura, o uso do Sistema de Combinação de Híbridos pode ampliar para 15 dias a janela de corte quando comparado ao uso de apenas um híbrido, podendo este período variar para mais ou para menos dependendo do acúmulo térmico de cada região. Veja que uma simples seleção e combinação de híbridos permite uma maior possibilidade de obter uma silagem de alta qualidade, reduzindo custos pela diminuição do uso de concentrados na dieta animal.

Este período de corte pode ser ainda maior caso o plantio seja escalonado, ou seja, faça a semeadura dos híbridos em diferentes épocas por meio de um seqüenciamento de plantio. No caso de plantios escalonados, o uso do Sistema de Combinação deve seguir as recomendações técnicas e de posicionamento dos híbridos. A época de plantio e, conseqüentemente, as condições ambientais exercem forte influência sobre o resultado da lavoura.

Caracterização dos Híbridos marca Pioneer para silagem

Na Tabela 2, estão apresentados os resultados obtidos pela Fundação ABC nas últimas três safras (2007/2008, 2008/20009 e 2009/2010) dos híbridos que compõem o Sistema de Combinação de Híbridos para a região Sul do Brasil. Chama a atenção o fato de que, na última safra, os híbridos foram avaliados na versão com a tecnologia YieldGard® – híbridos identificados com a letra Y e Herculex®I – híbridos identificados com a letra H e, como era esperado, mantiveram suas características originais.
 

De acordo com os resultados obtidos, pode-se observar que ao longo das safras, os dados de produtividade e qualidade, expressos em volume de matéria verde (MV), matéria seca (MS) e NDT (Nutrientes Digestíveis Totais), mantiveram-se dentro de elevados índices de produtividade e estabilidade. Estes dados reforçam a importância do uso do Sistema de Combinação de Híbridos como uma excelente estratégia para ampliar a janela de corte e a possibilidade de obter uma silagem com elevado volume, qualidade e estabilidade.

® YieldGard é marca registrada utilizada sob licença da Monsanto Company
® Herculex é marca registrada e utilizada sob licença da Dow AgroSciences.

Fonte:

http://www.agrolink.com.br/culturas/milho/artigo/silagem-de-milho–combinando-volume-com-qualidade_120225.html