Silagem de Colostro

Silagem de colostro Além da economia no leite, a silagem de colostro permite engordar mais animais, com segurança. É uma tecnolo gia tão importante que ganhou o Prêmio Fundação Banco do Brasil, em 2007, con correndo com 786 outras tecnologias.

O colostro é o primeiro leite produzido pela fêmea depois de dar cria. Esse leite é alimento essencial, forte em vitaminas, é laxante e tem função de proteger as crias diante de doenças. As crias precisam tomar o colostro antes de qualquer outro alimento.

Embora não possa ser vendido, o co lostro tem mais proteínas, minerais, gorduras, vitaminas e sólidos totais que o leite normal. Enquanto o leite tem em mé dia 3% de proteína, o colostro do dia do parto tem 14% de proteína, quase cinco vezes mais do que o leite. No segundo dia após o parto, a proteína baixa para cerca de 8%, e no terceiro dia fica em tor no de 5%, valores ainda significativos se comparados ao leite. O aproveitamento proposto pela veterinária consiste na produção de sila gem. No processo, o colostro é engarrafado e fermentado por 30 dias em temperatura ambiente – sem a incidência de sol. A silagem pode ser armazenada por tempo indeterminado até a sua utilização.

É uma técnica simples, de fácil apren dizado pelo produtor, pois não requer investimentos em insumos, instalações e maquinários. O processo não tem custos adicionais, pois utiliza apenas mão-de-obra e material reciclado (garrafas plásticas). Basta ter uma fêmea parida e uma garrafa!

O produtor de leite, Claudino Rai chow, de Pelotas (RS), afirma que com a economia obtida na criação de oito ter neiras, com silagem de colostro, está conseguindo pagar a metade da parcela anual do Pronaf-Investimento, que contratou pa ra construção das salas de ordenha e alimentação. A esposa do produtor, Nara Raichow, salienta que “como o colostro é mais forte do que o leite, as crias desenvolvem-se muito melhor”.

Antes de oferecer a silagem ao ter neiro ela deve ser diluída em dois litros de água. A utilização dessa tecnologia proporciona a economia de 200 litros de leite por animal. Em vacas a economia é de 200 litros de leite por bezerra criada, equivalendo ao lucro de venda de 1.200 litros. Uma bezerra consome 4 litros/dia de colostro! A tecnologia tanto serve para vacas como para ovinos e caprinos. Com 2 litros de silagem de colostro são produzidos 4 litros de alimento para os animais.

1 – Colocar o colostro excedente em garrafas plásticas bem limpas.
2 – Encher a garrafa até à boca, tam pando-a, devidamente, garantindo ausência total de ar. Isto permitirá uma fermentação correta.
3 – Guardar as garrafas em local limpo, fresco e sombreado.
4 – Após 7 dias de fermentação es tará pronto para ser utilizada como subs tituto do leite. O odor deve ser semelhante a queijo com sabor ácido e levemente salgado. O aspecto da silagem pode ser homogêneo ou separado em partes de acordo com o dia coletado. As observações indicam uma relação direta entre temperatura, luminosidade e tempo de fermentação. Quanto maior o calor e incidência de luminosidade menor é o tempo necessário para cessar a fermentação.
5 – Utilizar o colostro coletado nos primeiros 2 dias para servir às crias até 35 dias.
6 – Utilizar o colostro coletado nos 3o e 4o dias para servir às crias após 35 dias no nascimento.

Como utilizar o colostro ensilado

1 – Misturar uma porção de sila gem de colostro a uma igual quantidade de água morna. Temperatura de 50oC.
2 – Misturar bem. Colocar no balde, ou mamadeira, para oferecer às crias.
3 – Acostumar a cria ao sabor da silagem de colostro. Basta ir colocando a mistura, aos poucos, ao leite.
4 – Como acostumar a cria? Basta seguir a tabela.

Mara Helena Sallfeld – é médica-veterinária, pesquisadora da tecnologia da Silagem de Colostro. Mais informações: (53) 3225-7070. msaalfeld@emater.tche.br

05/09/2010Revista O Berro nº 135 – Mara Helena Saalfeld
Fonte:  http://www.accoba.com.br/ap_info_dc.asp?idInfo=1818