Cana de Açúcar

Setor sucroenergético debate desafios da cadeia no Clube da Cana da FMC

29/10/2013

 

Perspectivas econômicas e políticas da economia mundial, debates sobre desafios do setor sucroenergético, cenário do etanol e energia no Brasil e no Mundo foram os paineis abordados durante a 18ª edição do Clube da Cana da FMC Agricultural Solutions. Mais de 500 pessoas participaram do evento realizado no dia 24 a 27 de outubro, no Sofitel Jequitimar, no Guarujá (SP). Os principais gestores e lideranças do setor participaram do evento, já tradicional e reconhecido no mercado, e contou também com a participação da Secretária de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Mônica Bergamaschi. Encontro teve apoio da Case IH.

No dia 25 de outubro, os diretores e o presidente da FMC Corporation América Latina, Antônio Carlos Zem, realizaram a abertura do Clube da Cana e abordaram do O valor dos nossos negócios, “Vamos falar sim das dificuldades, mas vamos deixá-las para trás. Ou aumentamos a produtividade ou perdemos de vez a competitividade. Para isso, é necessário investir em renovação dos canaviais, expandir plantio (tecnologias), melhorar produtividade e reduzir custo. Ganhos de produtividade virão de novas tecnologias e em melhorias na operação”, destacou Zem.

Já o diretor comercial da FMC, Ronaldo Pereira, explicou O Valor do Cliente. “Valor é aquilo que a pessoa que está do outro lado e percebe, e não o que achamos que é. Entregamos valor no que vocês precisam e demandam e é essa a sintonia que a equipe FMC tem buscado ao passar dos  anos. Para isso, temos evoluído constantemente, porque os desafios estão mudando e nós temos que acompanhá-los com resultados no campo e ampliação de portfólio”, destaca. Pereira recomendou também que o setor deve buscar reduzir os custos de produção, apostando em manejo e aumento de produtividade.

Lançamento Nemix C

Foi lançado durante o Clube da Cana FMC a solução biológica Nemix C, um inoculante, que cria um biofilme ao redor da raiz, aumentando a proteção e a sanidade da planta, como uma barreira viva que cresce com a raiz. O diretor comercial da FMC, Ronaldo Pereira , explica as vantagens da nova tecnologia que teve como parceria a aliança estratégica com a Chr. Hansen para desenvolvimento do produto. “Com o Nemix C, os Bacillus Inteligentes protegem e promovem o desenvolvimento das raízes, criam uma barreira física e química na raiz, além de otimizarem a absorção de água e nutrientes. Uma proteção viva para o canavial que complementa nosso portfólio e integra o manejo no canavial.”

Manual de Identificação de Pragas da Cana

No último sábado (25), a FMC também lançou o Manual de Identificação de Pragas da Cana de autoria de José F. Garcia. O livro conta com diversas fotos e informações que auxiliarão o produtor em seu dia a dia na lavoura como mais uma ferramenta para melhorar e facilitar o manejo. O Manual poderá ser visualizado no site da FMC e baixado na íntegra no aplicativo da FMC Agrícola.

PAINEIS

Painel 1: O Valor da União
O ex-ministro Roberto Rodrigues, foi moderador desse painel, e destacou as dificuldades pelas quais passa o setor no Brasil. “A cadeia tem que estar unida. Só assim podemos partir em busca de uma política publica para o setor”, avalia Rodrigues. A presidente da União da Indústria da Cana de Açúcar (Unica),  Elizabeth Farina que a aliança é muito importante para o setor. “Temos também que entender quais são os novos desafios das fontes de energia fósseis”, afirma. Para Manuel Ortolan, presidente da Orplana, a diversificação da produção do setor possibilitará um grande salto para a cadeia nos próximos 20 anos e beneficiará todos os elos. O deputado federal Arnaldo Jardim, defendeu que o setor responda ao governo sobre todos esses desafios. Rodrigues propôs um projeto nacional envolvendo toda a cadeia produtiva em prol do setor para entregarem ao governo.

Painel 2 – Brasil: Valor, perspectiva e futuro
O economista José Roberto Mendonça de Barros e o cientista político, Sérgio Fausto, analisaram sobre o que o setor pode esperar na economia e seu futuro e também no ponto de vista politico. O painel teve como mediadora a jornalista Sonia Bridi. Para o economista José Roberto Mendonça de Barros “O desafio do governo é retomar a capacidade de crescer mais. Antes de tudo, a situação macroeconômica tem de ser estabilizada”, destacou. Já para Fausto “As ações populistas do governo para a reeleição prejudicarão ainda mais a economia do Brasil”, disse.

Painel 3 – Conjuntura etanol: presente e futuro
O presidente da Datagro, Plínio Nastari, disse que o principal motivo para estagnação de investimento no mercado de etanol é o subsídio do governo ao preço da gasolina. “O real valorizado, que tira a competitividade no cenário exportador, e a crise financeira global de 2008 e 2009 e o Brasil que não estimula a utilização de combustíveis renováveis também são fatores para esse cenário”, explica. Para Geraldine Kutas, assessora para assuntos internacionais da UNICA, o cenário internacional também se desenha promissor ao mercado de etanol. “Mais sete países estão estudando a adição do biocombustível na gasolina, o que deve impulsionar a demanda”, explica. Atualmente, a mistura ocorre em 55 países, sendo que os 28 países da Europa já a fazem. David Hallberg, CEO da Prime Solutions explicou sobre as regulações no mercado do etanol nos EUA e as consequências para o mercado mundial. O mediador foi o diretor da Agroconsult, André Pessoa.

Sábado – 25/10

“O valor da vida” foi abordado por Nando Parrado, sobrevivente do acidente dos Andes.  Ele contou sobre a saga dele e de seus 15 companheiros do time de rugby que sobreviveram por terríveis 72 dias, depois que seu avião se espatifou nos cumes gelados da Cordilheira dos Andes, motivando uma das mais envolventes histórias do século. Seus temas são liderança e motivação, que não faltaram para buscar a saída para um momento de extrema adversidade como o que aconteceu com ele e sua equipe no Chile.

Painel 4 – Energia no Brasil e no mundo

Participaram desse debate o professor Doutor da USP, José Goldemberg que falou sobre a energia do Brasil e no mundo; sócio-fundador Grupo Gas Energy, Marco Tavares que explicou a revolução do gás não convencional no mundo e os impactos para o Brasil. O diretor global de assuntos corporativos da BRF, Marcos Jank foi o moderador deste painel.

 

Fonte: Agrolink