Cadeia Produtiva

Seminário consolida protagonismo de Mato Grosso do Sul na apicultura nacional

01/02/2017

O Estado com a maior produtividade da apicultura nacional – Mato Grosso do Sul – está prestes a realizar o II Seminário de Apicultura do Cerrado. O evento, que acontece de 30 de março a 1º de abril em Bonito (MS), consolida a organização da cadeia produtiva e destaca, mais uma vez, o protagonismo do Estado na apicultura. Para se ter uma ideia, a produtividade em MS é de 52,33 quilos de mel/colmeia/ano, segundo informações da Feams (Federação de Apicultura e Meliponicultura de Mato Grosso do Sul) e Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal Governo do Estado de Mato Grosso do Sul). A média nacional é de 18 quilos de mel/colmeia/ano, segundo informações do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Para conhecer o site do seminário e fazer sua inscrição, clique aqui . No primeiro lote, o custo da inscrição é R$ 50. Elas podem ser feitas até dia 20 de fevereiro. O segundo lote terá o valor reajustado para R$ 70 e o terceiro, para R$ 90.

O seminário marca também o desligamento de Gustavo Nadeu Bijos da presidência da Feams. Ele está no comando da federação desde junho de 2010 e também participa da Câmara Setorial de Apicultura desde março de 2007. Durante sua gestão várias parcerias foram viabilizadas e a apicultura se consolidou no MS.

O pesquisador Vanderlei dos Reis, da Embrapa Pantanal (Corumbá-MS), é um desses parceiros. “O primeiro seminário ocorreu em novembro de 2013 em Goiânia. O segundo prioriza a cadeia produtiva e destaca pontos focais onde a apicultura pode se fortalecer ainda mais no Estado”, disse. De acordo com ele, o momento é de buscar a especialização para o setor.

“Mato Grosso do Sul tem potencial para obter outros produtos apícolas como o pólen, a cera e a própolis, além do mel, que, com suas características distintivas da região, obteve a recente conquista da primeira IG (Indicação Geográfica) do Brasil para o Mel do Pantanal”, explicou.

Outra tecnologia que tende a crescer no Estado – e que será abordada no seminário – é a apicultura migratória. Trata-se de uma técnica que transporta as colônias de abelhas africanizadas para lugares com melhores condições de produção naquele momento, o que também se reflete em aumento da produtividade. O transporte é feito de forma segura, em caminhões telados, onde elas permanecem confinadas.

A apicultura migratória é viável para o Mato Grosso do Sul porque o Estado superou o binômio boi/soja. “Hoje temos, por exemplo:  eucalipto, girassol, nabo forrageiro, além das floradas nativas (cipó uva, hortelã-do-campo, cambará, etc.) que dão origem a méis bastante diversificados ao longo do ano. Além disso, as abelhas fazem o serviço de polinização, que é muito importante para a agricultura”, aponta Vanderlei. Essa migração pode incluir o próprio Pantanal, onde a grande diversidade de espécies de plantas permite desenvolver a atividade em qualquer época do ano.

O pesquisador disse ainda que o seminário terá demonstração de vários materiais e equipamentos apícolas como, por exemplo, EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) produzidos no Estado e que vêm sendo premiados pela qualidade técnica. O Macacão Bodoquena Amarelo, utilizado pelo pesquisador, é um exemplo. O prêmio foi concedido pela CBA (Confederação Brasileira de Apicultura) como melhor macacão apícola no XX Congresso Brasileiro de Apicultura em Belém do Pará em 2014.

Confira, abaixo, a programação do II Seminário de Apicultura do Cerrado:

30/03/2017

• 07:30 às 08:00 | Abertura
• 08:00 às 08:40 | A Apicultura do MS e o papel da Iagro na sanidade apícola estadual (Gustavo Bijos – Feams, e Noirce Lopes da Silva – Iagro).
• 08:40 às 09:40 | Apiecoturismo – uma opção para aumentar e diversificar a renda na propriedade rural (Arno Wieringa – Apiário Florin, ES).
• 09:40 às 10:00 | INTERVALO
• 10:00 às 11:00 | Planejamento estratégico, desafios e oportunidades da criação de abelhas (José Alexandre Silva de Abreu – Pharma Nectar, MG).
• 11:00 às 12:00 | Boas práticas de fabricação em Unidades de Extração e Entrepostos (Raquel Braga).
• 12:00 às 13:30 | ALMOÇO
• 13:30 às 14:30 | Agricultura x Abelhas: uma parceria possível, lucrativa e de sucesso (Lionel Segui Gonçalves e Daniel Malusá Gonçalves – UFRSA e campanha “Sem abelha, sem alimento”).
• 14:30 às 15:30 | Importância da IG Mel do Pantanal para o desenvolvimento da Apicultura pantaneira (Vanderlei Doniseti Acassio dos Reis – Embrapa Pantanal).
• 15:30 às 15:50 | INTERVALO
• 15:50 às 16:50 | Abelhas nativas sem ferrão do Cerrado Sul-mato-grossense e Projeto Enxameia (Marcos Wolf e João Marcelo Kassar Ismael – Projeto Enxameia).
• 16:50 às 17:50 | Apicultura migratória mecanizada (Daniel Dallasta – Apiário Pôr do Sol, MS).

31/03/2017

• 07:30 às 08:30 | Gestão de apiários (Armindo Vieira do Nascimento Junior – Cia da Abelha, GO).
• 08:30 às 09:30 | Comparativo técnico e prático entre a apicultura comercial nacional e norte-americana (Renato Rodrigues Gimenes Gallego).
• 09:30 às 10:00 | INTERVALO
• 10:00 às 11:00 | O Cooperativismo como estratégia de fortalecimento da Apicultura / Meliponicultura (Celso Regis – OCB-MS).
• 11:00 às 12:00 | Melhoramento genético na produção de rainhas (Heber Pereira – SENAR-AR/MS).
• 12:00 às 13:30 | ALMOÇO
• 13:30 às 15:00 | Eleição da nova Diretoria da FEAMS para o biênio 2017/2019.

1º/04/2017

• 08:00 às 18h00 | Confraternização e lazer: Curta Bonito! (Informações sobre aquisição de passeios com a Agência Galeria Artes (67) 99253-9311.

Fonte: Embrapa