Pecuária

Semana inicia com alta de preços para boi gordo, frango e suíno vivo

Publicado em 17/11/2015

Boi Gordo: Mercado pouco movimentado, há negociações acima de R$ 150,00/@ em São Paulo

Por Felippe Damasceno Reis, zootecnista da Scot Consultoria

Como de costume, pouca movimentação no mercado do boi gordo nesta segunda-feira.

Alterações de preços apenas em três praças, das 31 consultadas pela Scot Consultoria. No Sul de Goiás, na região de Paragominas-PA e no Maranhão houve aumentos de R$1,00/@.

O cenário geral é de mercado firme.

Em São Paulo há frigoríficos pagando valore maiores que a referência. Existem negociações acima de R$150,00/@, a prazo.

As escalas de abate dos frigoríficos em São Paulo, no geral, estão entre cinco e seis dias. Alguns frigoríficos possuem escalas maiores.

No mercado atacadista de carne com osso, os preços estão estáveis. O boi casado de animais inteiros está cotado em R$9,44/kg, enquanto o de bois castrados está em R$9,55/kg.

Frango Vivo: Praças de comercialização do Paraná registram nova alta nesta 2ª feira

Por Sandy Quintans

Nesta segunda-feira (16), novas altas de preços foram registradas para o frango vivo no Paraná. Em Jacarezinho (PR), houve um aumento de 5,08%, com negócios a R$ 3,10/kg. Nas demais regiões, o cenário é de estabilidade, com referência em São Paulo a R$ 3,10/kg e Minas Gerais a R$ 3,35/kg.

Na última semana, praças de comercialização do Paraná e de Santa Catarina registraram diversas altas – reflexo de uma demanda aquecida na primeira quinzena do mês. Informações do Cepea, também apontam para o bom desempenho nas exportações e pela necessidade de ajustes com as altas registradas nos custos de produção.

Além disto, frigoríficos também têm intensificado as compras, impulsionado pela demanda aquecida, a proximidade das festas de final de ano, além do alto preço de proteínas concorrentes – como a carne bovina.

Custos de Produção

Nesta tarde, a Embrapa Suínos e Aves trouxe divulgou o índice de custos de produção, que encerra outubro com novo recorde. O ICP/Frango encerrou o mês com 205,26 pontos, um aumento de 6,96% em relação ao índice de setembro. No acumulado do ano, alta é de 16,58%, enquanto que em comparação há um ano o acréscimo nos custos de produção é de 26,90%.

Dentre os principais responsáveis por este aumento está a nutrição – que apenas no último mês registrou alta de 6,51% -, além de gastos com mão de obra e instalações.

Exportações

Também foram divulgados dados parciais de exportações pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Até a segunda semana de novembro, foram embarcados 159,5 mil toneladas de carne de frango in natura, com média diária de 17,7 mil toneladas. Comparando a média, houve um aumento de 24,7 % em relação a outubro, enquanto ao ano passado, a alta é de 19,1%. Em receita, a soma chega a US$ 240,3 milhões.

Suíno Vivo: Arroba suína tem alta em São Paulo; Rio Grande do Sul registra preços estáveis nesta 2ª feira

Por Sandy Quintans

Nesta segunda-feira (16), novos preços foram registrados para o suíno vivo. Em São Paulo, a arroba suína teve alta na referência pela primeira vez desde setembro. Com isso, fechou entre R$ R$ 81 a R$ 83/@ – equivalente a R$ 4,32 e R$ 4,43/Kg. Na última semana, a bolsa de suínos do estado havia definido preços entre R$ 78 e R$ 79/@.

Informações divulgadas pela APCS (Associação Paulista dos Criadores de Suínos) mostravam que os preços poderiam apresentar alta, visto que foram registrado diversos negócios acima da referência na última semana. Em Itu (SP), foram comercializados 160 suínos a R$ 80/@. Em Holambra (SP) foi realizada a venda de 600 animais, enquanto que em Monte Alegre (SP) foram 120, todos a R$ 80/@.

Em Rio Grande do Sul, pela segunda semana consecutiva, os preços médios pagos aos produtores independentes encerraram com estabilidade. Segundo pesquisa realizada pela ACSURS (Associação dos Criadores de Suínos de Rio Grande do Sul), a referência ficou em R$ 3,87/kg, enquanto os produtores integrados ficaram em R$ 3,13/kg.

 Custos de produção

A Embrapa Suínos e Aves divulgou os custos de produção de outubro, que mais uma vez encerrou com alta. O ICP/Suíno encerrou com 205,10 pontos, um aumento de 5,18% em comparação com o mês anterior. Além disso, houve um acréscimo de 16,37% no acumulado do ano e alta de 19,07% nos últimos doze meses. Apenas no último mês, os gastos com nutrição subiram 4,01%, um acréscimo de 15,49% em um ano.

Exportações

Até a segunda semana de novembro foram embarcadas 25,7 mil toneladas, com uma média diária de 2,9 mil toneladas, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Os números são 36,4 % maiores que a média diária de outubro, enquanto que em comparação com o mesmo período de 2014, a alta é de 55,8%. Em receita, a soma dos embarques chega a US$ 60,3 milhões.

Fonte: Notícias Agrícolas + Scot