Pecuária

Segurança alimentar: Ractopamina pode ser detectada por kit

07/08/13
Os sistemas de produção de carne bovina e suína têm buscado investir em novas tecnologias para aprimorar a produção aumentando a eficiência da produtividade. Para isso, o setor lança mão de suplementos, medicamentos e aditivos que muitas vezes são proibidos pela legislação.

É o caso da Ractopamina, substância utilizada como aditivo alimentício para promover o crescimento muscular de animais destinados ao abate, cujo uso é proibido na Rússia, União Europeia e na China e liberado no Brasil.

“Como a legislação brasileira permite o uso da substância, os estabelecimentos que exportam carne bovina e suína devem observar – e cumprir – as normas de países que compram seus produtos para que não sofram sanções comerciais”, alerta Ruy Nathan Lopes, assessor científico e veterinário da Gênese Diagnósticos.

O veterinário observa que muitas vezes este princípio ativo é residual, mas precisa ser dosado. “Para isso já existe no mercado kits específicos para detecção de Ractopamina pela metodologia Elisa”, finaliza.

 

Fonte: Agrolink