biblioteca

Se não reagirmos, Brasil se transformará numa Venezuela, diz Caiado

Publicado em 07/05/2015

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), fez um alerta hoje (7/5) sobre o processo de “venezuelização” do Brasil. Em audiência pública com as esposas de opositores ao governo da Venezuela, Lilian Tintori de Lopez e Mitzy Capriles de Ledezma, o senador apontou que os mesmos elementos que levaram a implantação do regime bolivariano no país governado por Nicolás Maduro estão sendo adotados no Brasil. “Se o povo não reagir poderemos ver no Brasil a mesma situação da Venezuela com opressão e até morte de opositores”, denunciou Caiado.

O senador reiterou o uso criminoso do BNDES para financiar países apoiadores do Foro de São Paulo, origem desse movimento que vem sufocando a democracia na América Latina. “Essa situação de violência e desrespeito à democracia não começou na Venezuela, foi inaugurada no Foro de São Paulo. Aqui no Brasil temos o uso criminoso e corrupto do BNDES para financiar empreiteiras e países que seguem a cartilha do Foro. Essa articulação populista e demagógica tem viés também no programa Mais Médicos e no Bairro Adentro, seu correspondente na Venezuela”, atestou. Caiado lembrou da real intenção de se criar o Mais Médicos no Brasil para financiar a ditadura cubana e alimentar caixa 2 de campanhas do PT.

Ronaldo Caiado fez duras críticas à “ideologização” da política internacional brasileira que concentra todos os poderes no assessor da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia. “É importante que as pessoas saibam: o ministro das Relações Exteriores é peça de ficção neste governo. Quem comanda o Itamaraty se chama Marco Aurélio Garcia, adepto da tese bolivariana. O Itamaraty sequer foi consultado quando um ministro da Venezuela esteve aqui para fazer convênio com o MST com o objetivo de unir forças civis para massacrar quem quer que seja contra o governo”, disse. Caiado ainda classificou como gesto grosseiro a atitude do governo brasileiro de barrar as esposas dos opositores venezuelanos no Itamaraty.

Ao se dirigir as esposas de Ledezma e Capriles, o parlamentar manifestou total apoio a luta contra a violência e desrespeito à democracia. Além disso, Caiado se comprometeu a atuar com firmeza na Comissão de Relações Exteriores pela valorização do Itamaraty e de uma política internacional alinhada aos valores democráticos. “Conte com o Democratas e meu empenho para que a Democracia possa voltar a respirar em seu país”, afirmou.

Fonte: AI Senador Ronaldo Caiado