Milho

SC pode enfrentar escassez de milho com produção de etanol

07/01/14 – 12:10
O Estado de Santa Catarina pode sofrer com a escassez de milho em função da instalação de novas usinas de processamento de milho para produção de etanol no Centro-Oeste do Brasil, alerta o diretor geral da Associação Catarinense de Avicultura (ACAV) e do Sindicato das Indústrias da Carne e Derivados de Santa Catarina (Sindicarne), Ricardo De Gouvêa.

Segundo o dirigente, o cenário pode se agravar e inviabilizar a produção industrial de aves e suínos do estado catarinense. O dirigente lembra que Santa Catarina é um grande produtor de carnes de frango e de suínos e o insumo fundamental para a operação dessas cadeias é a ração, elaborada basicamente a partir de milho.

Além da produção estadual não ser suficiente para atender às necessidades das cadeias produtivas de aves e suínos, Ricardo De Gouvêa teme que a utilização do milho para produção de Etanol aumente a demanda pelo insumo e, dependendo da produção mundial e brasileira, afetará o custo de produção de aves e suínos no Brasil podendo abalar também a competitividade das agroindústrias.  Em SC, a saca de milho custa R$ 26.

Entretanto, o dirigente entende que tal situação poderá ser minimizada com uma política de incentivo ao comércio interno do grão e a curto prazo, de subsídio ao frete para os Estados que não são autossuficientes e produzem proteína animal.

Em contrapartida, o rendimento da safra de milho 2013/14 poderá ser recorde em Santa Catarina. O Governo local espera um rendimento de 7.075 kg/hectare, 3% maior do que na safra anterior. Com uma área plantada de 465 mil hectares, a expectativa de produção é de 3,2 milhões de toneladas, segundo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Agrolink
Autor: Lucas Rivas