Manejo

São Paulo deve colher 412 milhões de toneladas de cana-de-açúcar

17/04/15
O levantamento apresenta os números relativos aos danos causados pelo baixo índice pluviométrico que atingiu as culturas paulistas e permite aferir as consequências que tais condições adversas provocaram nas diferentes regiões produtoras, tais como a queda da produtividade e consequentemente na produção. Por outro lado, os números relativos à safra de grãos são otimistas em relação à produtividade esperada, informa o Instituto de Economia Agrícola (IEA/Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. As previsões referentes ao ano agrícola 2014/15 foram obtidas em fevereiro de 2015, pelos técnicos da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), em cada um dos 645 municípios do Estado.

“As previsões e estimativas de safras agrícolas elaboradas pelo IEA, em parceria com os técnicos da Cati, desde meados da década de 1940, se constituem em importante instrumento de tomada de decisão para todos os elementos da cadeia produtiva.” destacou Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. O próximo levantamento, efetuado em abril de 2015, fornecerá dados mais aderentes sobre produções e produtividades, para a safra agrícola 2014/15.

Para a cultura da cana-de-açúcar, os dados demonstram que não é somente a estiagem que vem afetando a produção nas principais regiões produtoras, questões relativas à política econômica vem comprometendo as perspectivas para o setor, pois os números relativos à área nova na maioria dos Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs) registram tendência de queda. Contudo, em termos gerais, a cultura da cana no estado apresenta estabilidade na área em produção (+0,6%) e na produção (+2,7%) com previsão do volume a ser colhido de 412 milhões de toneladas, afirmam José Alberto Angelo, Carlos Bueno, Celma Baptistella, Denise Caser, Felipe Camargo, Mário Olivette e Vagner Azarias Martins, pesquisadores do Instituto de Economia Agrícola.

A previsão de safra realizada em fevereiro de 2015 traz os primeiros números do milho safrinha e a terceira divulgação do milho de primeira safra que, em algumas regiões iniciava sua colheita. Em relação ao milho safrinha, o levantamento aponta pouca variação em relação à safra anterior, exibindo recuo de 1,7% na área plantada e aumento de produção de 1,4%, ressalta-se que esses dados são preliminares. O milho de primeira safra também apresenta perda de área em comparação ao ano anterior (-6%), entretanto, os dados mostram produção estimada, 10,7% maior, com ganho de produtividade de 17,8%.

Para a cultura da soja, os números consolidados no levantamento atual apresentam crescimento de 5% na área cultivada com 741,4 mil hectares, de 25,9% na produção (sendo esperadas 2,04 milhões toneladas do grão) e ganhos de 19,9% de produtividade com 2.751 kg/ha.

A estimativa de colheita de 3.952.878 de sacas 60 kg de café beneficiado confirma expectativa inicial de que o continuum representado pela anomalia climática, iniciada em dezembro de 2013, acarretará em redução da produção frente à safra anterior, quando foram colhidas 4.594.135 sacas de 60 kg.

O levantamento realizado no mês de fevereiro reflete a primeira previsão referente à safra agrícola 2014/15 para a cultura da laranja. Os resultados apontam para um volume total produzido para o Estado de São Paulo de 284,38 milhões de caixas de 40,8 kg (11.603 mil toneladas), ou seja, 2,2% inferior do obtido na safra passada. Certas regiões prevêem volume menor a ser produzido na presente safra como Fernandópolis, Ribeirão Preto, Araraquara, Mogi-Mirim e Jaú, comparativamente aos números finais da safra agrícola 2013/14. A quantidade de frutos previstos nesses EDRs representa aproximadamente 63% do volume de produção estadual. Esses números incluem tanto as frutas comerciais como os frutos provenientes de pomares não expressivos economicamente e as perdas relativas ao processo produtivo e às de colheita.

Levantamento final da safra das águas 2014/15 

A cultura da batata das águas da safra 2014/15 registrou redução de 14,8% na área cultivada comparativamente a safra 2013/14, em consequência das alterações de preços durante o ano. Devido a variações climáticas regionais, a produção colhida foi de 160,45 mil toneladas, com quedas de 17,3% em relação à safra anterior e de rendimento. A produção paulista está concentrada em quatro EDRs, que respondem por 83,3% da área cultivada no Estado: Itapetininga (29,3%), Avaré (27,4%), Itapeva (16,3%) e São João da Boa Vista (10,2%).

As informações finais para o feijão das águas registraram redução de área de 22,1%; produção de 97,1 mil toneladas (-13,8%), apresentando ganhos na produtividade de 10,6% em relação à 2013/14, resultado esses que podem ser explicados pelas condições climáticas, em que o desenvolvimento da cultura na safra corrente foi menos desfavorável do que a verificada na anterior. Os EDRs de Avaré (40,3%) e Itapeva (38,3%) são as principais regiões produtoras, que juntas representam 78,6% da produção paulista.