Mudas e Sementes

Rússia investe para conquistar mercado de sementes

02/10/2017

Com a recuperação da produção agrícola nos últimos anos, depois da estagnação do desmonte soviético, a Rússia pretende avançar na pesquisa e desenvolvimento de sementes. O governo de Vladimir Putin quer reduzir a importação, que atualmente significa quase 50%.

Grandes empresas russas, como o conglomerado Ros e o bilionário Greg Derispaka, já estão interessados em desenvolver suas sementes próprias de trigo, milho, beterraba ou girassol. “A independência alimentar começa com as sementes,” disse Pyotr Chekmarev, Chefe do Departamento de Cultivares do Ministério de Agricultura russo.

Embora esteja interessado em desenvolver sementes, o governo russo não permite o uso de transgênicos. Estaria, no entanto, interessado no desenvolvimento massivo de híbridos.  Cientistas lcais acreditam que podem conseguir a mesma produtividade obtida com OGM (Organismos Geneticamente Modificados) usando sementes híbridas.

“O investimento em máquinas agrícolas atualizou a produção agrícola no país e reduziu os custos. Eu vejo o mesmo potencial com as sementes,” afirmou Vadim Moshkovich, proprietário principal do grupo Ros Agro. O país já tem a maior oferta de trigo mundial.

O cenário para produção e comercialização doméstica na Rússia é considerado promissor. Com a desvalorização do Rublo, as importações estão mais caras e os produtores estão capitalizados e com sensação de retorno aos investimentos. Além disso, as sanções à Rússia dificultam investimentos de empresas estrangeiras.

A Ros Agro e a Schelkovo Agrohim devem investir US$ 9 milhões nos próximos anos na construção de um novo centro de genética e melhoramento. A Ros Agro separadamente quer investir no desenvolvimento de sementes de soja a partir do ano que vem. O grupo Kuban AgroHolding, do bilionário Derispaka, desenvolveu milho, colza e girassol e já está testando as sementes.

Fonte: Agrolink