Curiosidades

Roteiro enaltece produção de frutas no Nordeste brasileiro

04/04/2017

Além de explorar a agricultura mundial através de roteiros técnicos que contemplam os principais países produtores de grãos, a AgroBravo levou uma comitiva até o Vale do São Francisco, no Nordeste brasileiro, para conhecer uma rica produção de frutas.  É justamente naquela região, onde os termômetros marcam temperaturas em torno dos 40 graus durante o ano todo, que estão localizados os municípios campeões em produtividade nafruticultura. Um bom exemplo disso, é a GrandValle na Fazenda Fortaleza, localizada em Santana do Sobrado, na cidade de Casa Nova – BA.

Fundada no ano de 1988, a GrandValle tem como foco a produção de mangas e uvas de mesa destinadas à comercialização no mercado brasileiro e no exterior, além da criação de ovinos de corte. Em 2013, a empresa também iniciou a fabricação de suco de uva 100% integral, sendo a pioneira nesse segmento no estado da Bahia. Atualmente, o volume de produção do grupo é de cerca de 5 mil toneladas de manga e 3 mil toneladas de uva in natura. Já a produção de suco de uva, é de aproximadamente 500 mil litros por ano, enquanto o plantel de ovinos gira em torno de 2000 cabeças.

Gilberto Secchi, diretor e um dos fundadores da GrandValle, veio do Sul do Brasil e tem na agricultura a conquista de toda uma vida. A dedicação inspirou as três filhas que atuam na gestão do grupo. Para Secchi, um dos principais desafios do setor é lidar com a escassez de água. “Estamos há mais de três anos sofrendo com a estiagem prolongada e o baixo nível da barragem de Sobradinho devido à quantidade escassa de chuvas na região da nascente do Rio São Francisco no estado de Minas Gerais”, esclarece o empresário.

Graças a modernos sistemas de irrigação e a altas temperaturas, durante o ano todo, a produção de frutas tropicais, subtropicais e até temperadas na região é praticamente ininterrupta. O local foi pioneiro em sediar projetos de irrigação. O clima seco aliado ao alto nível de exposição solar também permite uma boa produtividade e menor incidência de diversas doenças. O polo fruticultor nordestino está localizado entre as cidades de Juazeiro, na Bahia, e Petrolina, em Pernambuco.

Além da disponibilidade de água e terra e das condições climáticas favoráveis, a região conta com boa infraestrutura para irrigação, recursos federais, acesso ao mercado nacional e internacional e boa logística de escoamento da produção, especialmente em função dos portos de Suape e Pecem. As principais frutas produzidas no Vale do São Francisco são: manga, melão, uva, banana e coco verde.

Em visita à GrandValle, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, ficou impressionado com a produção e elogiou em suas redes sociais o trabalho realizado na fazenda. “Na região, existem fábricas de processamento, onde os produtos são preparados para a exportação para mais de 50 países. É um oásis na caatinga nordestina. Encontrei histórias de brasileiros vencedores que fizeram deste canto do Brasil algo inacreditável, como a história do catarinense de Joaçaba Gilberto Secchi, que chegou aqui há 30 anos como empregado de uma empresa que fornecia sementes de melão. Hoje, ele e suas filhas tocam uma propriedade de 300 ha com uva, manga, tudo irrigado e integrando a ovinocultura. Coisa linda de se ver! #estebrasiltemjeito”, declarou o ministro.

O roteiro também passou por pomares em Petrolina, no estado do Pernambuco. De acordo com o Ministério da Agricultura, o Brasil é o terceiro maior produtor mundial de frutas. A maior parte da produção destina-se ao mercado interno e uma pequena parcela é vendida no mercado internacional.  “A vontade de ir até Petrolina surgiu após a participação no evento Mulheres no Agro, que aconteceu em São Paulo no ano passado. Estávamos lá em busca de conhecimento, de ver a forma como as pessoas pensam, que pode ser diferente da nossa, buscando inspiração e, ao mesmo tempo, melhorando a nossa noção de mundo e de Brasil”, declarou Aline Bortoli, gerente de marketing do Grupo Bom Futuro (MT), uma das participantes do roteiro.

É também naquele lugar improvável que estão as mais avançadas vitiviniculturas do Brasil. Alguns dos melhores vinhos, espumantes e sucos de uva do País saem do Vale São Francisco, onde se concentra a segunda maior produção de vinhos finos no Brasil. A safra anual brasileira de vinhos elaborados a partir de uvas vítis viníferas gira em torno de 40 milhões de litros, 7 milhões só daquela região, a única do mundo que produz vinho o ano todo, pelos mesmos motivos que a produção de frutas também não para.

O grupo foi conhecer a Miolo, onde puderam entender os principais desafios de iniciar a plantação naqueles vinhedos e as suas principais característica. “A gente pôde ver o contraste daquela região que está se desenvolvendo muito, mas, ainda, com alguns desafios, como a educação”, contou a gerente de marketing. O objetivo do roteiro foi aliar conhecimento e lazer. “O Brasil é um país muito rico, precisamos fazer com que o mundo saiba disso e valorize essas peculiaridades desconhecidas até mesmo para muitos brasileiros”, declarou o diretor executivo da AgroBravo, Júlio Bravo.

Fonte: Agrolink