Manejo

RIZOBACTéRIAS EM CITROS

O crescimento das plantas é influenciado pela interação das raízes e parte aérea dos vegetais com o ambiente. Esse ambiente, para o sistema radicular, é representado pelo solo ou substrato de plantio que proporciona o suporte físico e fornece água e nutrientes para a planta. As raízes, além da função de apoio da planta no solo, também interagem com um complexo de microrganismos que desempenham importante papel no crescimento e sobrevivência das plantas. Esses microrganismos constituem a microflora rizosférica e podem ser classificados como deletérios, benéficos ou neutros, conforme seus efeitos sobre o desenvolvimento das plantas. Dentre esses, destacam-se as rizobactérias que crescem próximas às raízes e que são estimuladas pelos exsudatos radiculares. Algumas destas bactérias são capazes de, ao colonizar o sistema radicular de plantas, promover crescimento e as plantas resultantes desse tipo de interação podem ser maiores, mais vigorosas, com maior produtividade e mais sadias.

Estudos realizados em diversos países têm demonstrado o efeito benéfico das rizobactérias na promoção do crescimento de plantas cítricas. Estirpes de Pseudomonas fluorescentes foram encontradas colonizando raízes de limão rugoso (Citrus jambhiri) e laranja doce (C. sinensis). O isolamento e posterior inoculação dessas bactérias promoveu o desenvolvimento do sistema radicular, refletindo-se no estímulo ao crescimento das plantas da ordem de 116%, após 10 meses da inoculação.

Além de aumentar a produtividade de culturas, as rizobactérias também têm sido usadas para o controle biológico de enfermidades de plantas. Os mecanismos pelos quais as rizobactérias promotoras de crescimento (PGPR) favorecem a sanidade da planta ainda não estão totalmente esclarecidos, mas há indicações de elas atuarem na indução de resistência a enfermidades, mineralização de matéria orgânica e de nutrientes, detoxificação, alterações benéficas no metabolismo hormonal da planta e controle biológico por antibiose direta.

Nos citros, pesquisas têm mostrado que essas bactérias podem ser utilizadas como agentes de biocontrole de diversos organismos patogênicos tais como fungos, bactérias e nematóides. Em plântulas de limão rugoso e laranja doce já foi observado o efeito inibitório aos fitopatógenos Geotrichum candidum e Erwinia stewartii devido à produção de antibióticos, induzida pela inoculação com rizobactérias. Na Índia, a aplicação de Pseudomonas fluorescens, numa formulação contendo 15×108 ufc/g, na dosagem de 20 a 40g por planta, retardou a significativamente a multiplicação do nematóide Tylenchulus semipenetrans no sistema radicular de laranjeiras e limoeiros. No Brasil, o efeito positivo da associação dessas bactérias antagonistas também já foi constatado no controle de Phytophthora nicotianae var. parasitica e P. citrophthora em plântulas de citros. Esse trabalho, conduzido em condições de casa de vegetação, mostrou que a inoculação isolada de Pseudomonas fluorescentes controlava apenas P. citrophthora, enquanto a associação dessa rizobactéria com os fungos antagonistas Trichoderma harzianum e T. koningii propiciava o controle das duas espécies de Phytophthora.

Referências bibliográficas

AMORIM, E. P. da; ITAMAR, S. de M. Efeito da associação de antagonistas no controle de Phytophthora parasitica e Phytophthora citrophthora em plântulas de citros. Summa Phytopathologica, v.25, n.4, p.335-338, 1999,

BEUACHAMP, C. J. Mode of action of plant growth-promoting rhizobacteria and their potential use as biological control agents. Phytoprotection, v.71, p.19-27, 1993.

GARDNER, J. M.; CHANDLER, J. L.; FELDMAN, A. W. Growth promotion and inhibition by antibiotic-producing fluorescent pseudomonads on citrus roots. Plant and Soil, v.77, n.1, p.103-113, 1984.

LEMANCEAU, P. Effets benefiques de rhizobacteries sur les plantes: exemple des Pseudomonas spp. fluorescents. Agronomie, v.12, n.6, p.413-437, 1992.

HOFFLAND, E.; BAKKER, P.; VAN LOON, L. C. Multiple disease protection by rhizobacteria that induce systemic resistance-reply. Phytopathology, v.87, p.138, 1997.

SANTHI, A.; SUNDARABATU, R.; SIVAKUMAR, C. V. Field evaluation of rhizobacterium, Pseudomonas fluorescens for the management of the citrus nematode, Tylenchulus semipenetrans. In: DHAWAN, S. C.; KAUSHAL, K. K. (Eds.) Proceedings of national symposium on rational approaches in nematode management for sustainable agriculture, Anand, India, 23-25 November, 1998, p.38-42, 1999.

Fonte: http://www.agronline.com.br/artigos/artigo.php?id=145&pg=2&n=2