Pecuária

Reunião técnica aborda qualidade do leite em São Sepé

02/08/2016

Extensionistas rurais da Emater/RS-Ascar dos municípios de São Sepé, Vila Nova do Sul e Restinga Seca participaram de reunião técnica sobre a qualidade do leite com enfoque na contagem bacteriana total (CBT), realizada na quinta-feira (28/07), no município de São Sepé, na propriedade do casal de produtores José e Margarete de Gregori. Também participaram produtores rurais ligados à atividade leiteira.

A preocupação dos extensionistas é capacitar os produtores para atingirem níveis cada vez melhores na qualidade do leite. “A programação faz parte do Projeto Regional de Qualidade do Leite que tem como objetivo geral fortalecer a produção como alternativa socioeconômica para as famílias, evitando a exclusão de produtores da cadeia leiteira devido a não atingirem os níveis exigidos pelas normas atuais”, diz o assistente técnico de bovinocultura de leite do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Santa Maria, Pedro Urubatan Neto da Costa, que coordenou a reunião.

Conforme Pedro, a meta é atingir 684 famílias neste ano, na parte de contagem bacteriana. “Após esta etapa seguirão outras reuniões para demonstrar na prática como melhorar indicadores de contagem de células somáticas e composição do leite, tratando-se de um trabalho continuado”, diz o assistente técnico de Santa Maria.

No encontro foi demonstrado como deve ser realizada a ordenha a fim de garantir a qualidade do produto, além da correta limpeza de equipamentos e do resfriador. Também foi tratados assuntos como a regulagem dos equipamentos de ordenha e a qualidade da retirada de amostras de leite para acompanhamento das indústrias. “Medidas simples de higiene na sala de ordenha e água de boa qualidade na limpeza dos equipamentos e instalações são de fundamental importância para a qualidade do leite”, ressalta a extensionista do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de São Sepé, Lilian Varini.

Pedro destaca ainda a importância das reuniões sobre a qualidade do leite acontecer nas condições reais dos agricultores. “Através de reuniões com poucos participantes se proporciona aos produtores uma oportunidade de ver e refletir melhor como e porque se faz determinada pratica de manejo da ordenha”, ressalta o técnico da Emater/RS-Ascar.

Fonte: Emater – RS