Reprodutivo

Reprodução

O aumento da produção leiteira, de carne ou de peles, normalmente é conseguida através de introdução de animais melhoradores no rebanho. As opções para este tipo de cruzamento ou mesmo para se começar com matrizes puras de alto nível de produção, são muito variadas sendo que cada produtor, deverá conhece-las uma a uma e optar pela que melhor lhe convier, observando sempre sua disponibilidade de manejo e alimentação principalmente.

Nomenclatura
Todas as referencias na descrição das raças são dadas por termos que definem cada parte do corpo animal, bem como a avaliação do individuo para efeito de registro genealógico.

Raças
Sã (1.977) classifica as raças caprinas em três troncos europeu, africano e asiático.

Tronco Europeu
– Sub Tronco Alpino
– Saanen: Saanen, Branca Alemã.
– Alpina: Parda Alpina, Parda Alemã, Chamisee, Alpina Francesa.
– Sub Tronco Pirineu
– Toggenburg, Murciana, La Mancha, Grahadina.

Tronco Africano
– Anglo Nubiana, Sannapari, Bhuji.

Tronco Asiático
– Angorá, Chachimira.
Numericamente os descendentes do tronco Africano são maiores no país, porém as raças oriundas do tronco Europeu são mais importantes do ponto de vista da produção leiteira, uma vez que a séculos são selecionados com tal finalidade.
As maiores populações para produção leiteira encontrada principalmente no Centro-sul, são das raças ou cruzadas com: Parda, Branca alemã, Saanen e Toggenburg.

Saanen
Origem: Suíça, do vale do Rio Saanen
Aptidão: Leiteira; raça bastante pesada.
Em nosso meio como a preferência do consumidor é de animais jovens (4-6 m) as progênies de Saanen comparativamente são mais pesadas que outras raças, mesmas as especializadas em produção de carne, nesta idade, o que confirma a indicação de raça de dupla aptidão.
Sua produção leiteira é alta, bastante prolifera, podendo entrar em reprodução no sétimo mês quando atinge 35 Kg de PV.

Padrão Racial
– Cabeça: leve, com perfil retilíneo, fina e longa, com orelhas levantadas, sem ser em pé. Podem ser mochos naturais ou artificialmente amochados. Pelo padrão suíço, os animais devem ser naturalmente mochos As mucosas são amarelas ou rosadas Os olhos grandes, vivos e brilhantes.
– Pescoço: deve ser largo, forte e musculoso, provido de pelos mais longos no bordo superior para os machos. Nas fêmeas, deve ser longo, delgado e elevado, com bordo superior cortante, com pelos não muito grossos e mais longos que no restante do corpo.
– Corpo: deve lembrar um triangulo quando visto de perfil, ou por cima. O peito saliente, mas amplo, a linha dorsal reta e longa, o lombo bem desenvolvido, as pontas das ancas bem separadas, a garupa longa com leve inclinação. O tórax deve ser profundo e largo, com as costelas bem separadas e arqueadas, o ventre volumoso e largo. As fêmeas devem apresentar úbere grande, comprido, profundo e largo, bem conformado, bem implantado e simétrico, sem apresentar divisão marcante quando visto por trás. A consistência deve ser esponjosa e de textura fina. As tetas devem ter bons tamanhos e textura média e ser bem afastadas e voltadas para baixo, com leve inclinação para frente, sem tocar nos membros. Os machos devem apresentar testículos médios e soltos, sendo a bolsa escrotal bem conformada e desenvolvida.
– Membros: fortes, coma articulação firme, mais delicados e finos, nas fêmeas, com os dianteiros bem aprumados, sendo permitido os posteriores um pouco mais abertos (acampados) e fêmeas de boa lactação. Os cascos são amarelos de coloração clara.
– Pelagem: branca, com a pele rosada.

Branca Alemã
Puberdade
Em termos fisiológicos é a idade em que os animais se tornam aptos à reprodução, ou seja, quando da primeira ovulação nas fêmeas e presença de espermatozóides no ejaculado dos machos. Em caprinos, a puberdade ocorre aproximadamente aos 4 meses, quando machos e fêmeas atingem 40-50% de seu peso adulto. Mas, em termos práticos, nessa idade não devem iniciar a vida reprodutiva, pois não tem desenvolvimento corporal suficiente.
Recomenda-se que o acasalamento seja iniciado quando os animais atingirem 65-70% do peso adulto para a raça. Essa idade é chamada puberdade zootécnica e ocorre aos 7-8 meses, desde que os animais sejam criados de forma satisfatória.
Exemplo: Cabra leiteira adulta pesa 50 Kgs PV, sendo que seu peso à primeira cobertura será de 35 Kgs de PV. Nos machos a idade ideal para reprodução é de no mínimo um ano a um ano e meio para as raças mais tardias.

Ciclo Estral
É o período compreendido entre dois cios, durante o qual ocorrem profundas modificações hormonais em todo o organismo, particularmente sobre o aparelho genital e comportamento da fêmea. Caracteriza-se pela atividade cíclica dos ovários, com duração normal de 20-21 dias, por cio, para a espécie caprina. O ciclo estral é composto por:
– Pró-estro: caracterizado pelo crescimento dos folículos. Como sintomas tem-se vulva e vagina congestionadas começando a produzir muco.
– Estro (cio): caracterizado pela maturação e liberação do folículo. Seus sinais externos são: micção constante, agitação da cauda, bale constantemente e diminuição na ingestão de alimentos. O cio tem uma duração média de 36 horas, com uma variação o normal de 24 às 48h. Na prática, quando a cabra for encontrada em cio pela manhã, ela deverá ser coberta no final da tarde do mesmo dia, e na manhã do dia seguinte, quando for encontrada no cio na parte da tarde deverá ser coberta no dia seguinte pela manhã e à tarde.
– Metaestro: caracteriza-se pelo crescimento do corpo lúteo, seus sintomas são descamações do epitélio vaginal.
– Destro: onde ocorre a evolução o ou involução do corpo amarelo dependendo se o animal entrou ou não em gestação.

Estação de monta
Os caprinos apresentam estacionalidade na reprodução (poliestricos estacionais), características adaptativas ao meio temperado, onde as chances de sobrevivência são maiores para os animais que nascem na primavera. As cabras do nordeste brasileiro perderam estas características, e apresenta cio o ano todo, apenas limitando a época de cobertura por influencias nutricionais.
O principio fisiológico desta estacionalidade está ligado diretamente a luminosidade, que induz o aparecimento do cio a medida em que os dias têm menor duração.
Para o Estado de São Paulo isto ocorre de janeiro a agosto. centralizando nos meses de outono (janeiro a abril). Como objetivo principal da caprinocultura é a produção de leite, o aconselhado é dividir o rebanho em lotes e fazer coberturas durante toda a estação de reprodução.
No caso de preferir uma estação de monta reduzida devemos considerar os seguintes fatores, uma vez que todos os animais serão cobertos na mesma época, e conseqüentemente a parição irá ocorrer com diferença máxima de 2 a 3 meses. Estes fatores são:
· Período de maior atividade sexual dos machos e fêmeas;
· Necessidades nutricionais das fêmeas na parição e lactação;
· Época mais adequada para nascimento dos cabritos;
· Mercado dos produtos.
Normalmente, a melhor época para cobertura das cabras é os meses de mar-abr, pois atendem de forma mais adequada todos estes fatores citados. Com a cobertura nestes meses, as cabras irão parir oferta de alimentos é maior, os cabritos sofrerão menos, pois, o clima é mais quente ocorrendo menor mortalidade, e podem ser vendidos com 20-30 Kg. de PV para as festas de fim de ano, onde a cabra normalmente tem maior preço.

Parto e Prenhez
A duração da prenhez é de aproximadamente 150 dias, influenciado bastante pela alimentação, fatores mecânicos, medicamentos, etc. A variação fisiológica da prenhez é de 144 a 156 dias.
Alguns princípios devem ser seguidos para garantir a prenhez:
· Liberdade de movimentação;
· Observação diária das fêmeas;
· Evitar traumatismo;
· Suspender a ordenha pelo menos dois meses antes da parição;
· Boa alimentação;
· Evitar banhos frios;
· Evitar vermifugações o máximo que puder;
· No caso de aborto, separar o animal.

Secagem:
· 1ª semana = ordenhar 1 vez/dia;
· 2ª semana = ordenhar dia sim dia não;
· 3ª semana = ordenhar a cada dois dias;
· 4ª semana = a cabra estará seca.
O parto é precedido 12-24 hs de um declínio do progesterona e tem duração média para a expulsão de fetos de 4 minutos até 3 horas, sendo normal ao redor de 30 minutos.
Os sintomas de parto são: aparecimento de colostro nas tetas, os ligamentos dos sacros são relaxados, há diminuição de ingestão de alimentos, e finalmente o tampo do colo do útero se rompe.
Para um melhor controle do parto as fêmeas próximas da parição (uma semana antes) devem ser recolhidas em baias de parição ou ficarem em pasto próximo à visão do criador. Após a parição o criador deve proceder à limpeza da genitália, observando a expulsão da placenta (até 2 h. após o parto) e corrimento.

Relação Bode/Cabra
A quantidade de machos a serem mantidos no plantei, para uma eficiente cobertura de todas as fêmeas é de 1 macho para cada 25 fêmeas (4%), quando os animais são jovens, e de 1 macho para 35 fêmeas (3%) quando os reprodutores são mais velhos.
A quantidade de cobertura para um reprodutor já totalmente desenvolvido não deve exceder a 6 saltos/dia, sendo uma boa média de 3 a 4 saltos/dia. Quando for muito exigido deverá descansar no dia seguinte.

Fonte: http://www.revistadaterra.com.br/view.php?id=su38&id_c=415