Pecuária

Reposição: queda da relação de troca inibe negociações em São Paulo

Publicado em 13/05/2015

Começa a aparecer mais oferta de animais de reposição no estado, cenário incomum nos últimos meses.

Mesmo assim, a atual pressão sobre as cotações da arroba do boi gordo, junto com a melhora da oferta, parece não ter gerado efeito no mercado de reposição.

As negociações estão praticamente paradas pela divergência entre vendedores e compradores. A resistência dos compradores em diminuir as cotações tem travado o mercado.

Isso em função da relação de troca do boi gordo com os animais de reposição, claramente prejudicada no último ano.

Além disso, há preocupação dos invernistas e confinadores quanto ao planejamento da engorda este ano, pela incerteza quanto ao comportamento dos preços no momento da venda do animal terminado.

Na média de todas as categorias de animais de reposição em São Paulo, os preços aumentaram 33,6% em um ano, sendo o garrote (9,5@) o destaque, com alta de 36,8% neste período.

Enquanto isso a arroba do boi gordo subiu 21,6%, menos que todas as outras categorias, reduzindo o do poder de compra do pecuarista.

Hoje são necessárias 12,1 arrobas de boi gordo para comprar um garrote, sendo que em maio do ano passado eram necessárias 10,8 arrobas para aquisição do mesmo animal, 1,3 arroba a menos.

Fonte: Scot Consultoria