Curiosidades

Relatório apresenta os avanços e desafios globais em segurança alimentar e nutricional

20/05/2014

Comitê Consultivo da DuPont para Inovação & Produtividade Agrícola divulga avanços na direção de um mundo seguro em alimentação e nutrição

Hoje (20/5), o Comitê Consultivo da DuPont para Inovação & Produtividade na Agricultura divulgou um relatório atualizado http://foodsecurity.dupont.com/ag-innovation-committee/ sobre os avanços no panorama global de alimentos e nutrição, destacando ganhos substanciais nas taxas de produção mundial de alimentos, melhorias na qualidade nutricional e progresso na erradicação da fome e da pobreza extremas. No entanto, os consultores reconhecem que ainda existem sérios desafios.

Em 2010, a DuPont formou o Comitê Consultivo para explorar em profundidade as questões mundiais que afetam a segurança alimentar e nutricional. Presidido pelo ex-líder da maioria do senado norte-americano, Tom Daschle, o comitê reúne um grupo de especialistas em desenvolvimento agrícola, ciências, política e economia.

Desde o primeiro relatório, publicado em 2011, o comitê tem monitorado o progresso global das questões envolvendo a segurança alimentar e nutricional e, em maior profundidade, três aspectos: o papel da tecnologia e da inovação na agricultura, oportunidades para promover avanços na segurança nutricional e a demanda por sistemas agrícolas que sejam mais sustentáveis do ponto de vista ambiental, social e econômico.

Entre os principais resultados, o comitê concluiu que, desde 2011, o mundo conquistou avanços significativos para a erradicação da pobreza e da fome extrema:
·         Países em desenvolvimento conseguiram chegar ao ponto de praticamente reduzir pela metade a proporção de pessoas que sofrem com a fome.
·         As taxas atuais da presença da desnutrição em regiões em desenvolvimento devem cair para 13% até 2015, ou seja, metade da taxa entre 1990 e 1992.
·      Quando analisada a eficiência agrícola, a produtividade global está a caminho de atender à maior demanda mundial de alimentos.
·         As negociações comerciais em curso devem permitir uma maior circulação de alimentos no mundo.
·        Colaborações mais avançadas entre os setores público e privado estão criando novos modelos sustentáveis para melhorar os meios de subsistência dos pequenos agricultores.

Apesar desse progresso, o comitê ressaltou que ainda existem importantes desafios a serem superados, uma vez que uma em cada oito pessoas ainda permanecem desnutridas. Esses desafios incluem:
·         Fornecer todas as ferramentas disponíveis para os agricultores.
·         Desenvolver sistemas agrícolas sustentáveis.
·         Oferecer recursos para capacitar as mulheres agricultoras, tais como terra e treinamento técnico.

Para superar os desafios acima, o comitê destaca o papel dos agricultores e o acesso a tecnologias essenciais. Além disso, os especialistas ressaltam a necessidade de uma abordagem global e colaborativa entre vários parceiros e setores. “Reconhecemos o progresso alcançado até aqui, mas muitas questões ainda precisam ser resolvidas, abrangendo desde a garantia de que os agricultores terão acesso a todas as ferramentas para elevar a produtividade até o desenvolvimento de sistemas agrícolas sustentáveis”, comenta o Senador Daschle. “Já estamos vendo parcerias público-privadas trabalhando para desenvolver soluções inovadoras em segurança alimentar e devemos continuar fomentando essas colaborações criativas, se quisermos avançar ainda mais”, completa.

“Estamos otimistas em relação aos avanços no cenário global da segurança alimentar e nutricional, impulsionados em parte pela priorização mais elevada dos principais órgãos governamentais ao redor do mundo, maior consciência sobre os fatores subjacentes obtidos por meio de novas ferramentas de medição, mais inovação e envolvimento da juventude. No entanto, ainda temos um longo caminho a percorrer e devemos continuar apoiando os pequenos agricultores e as mulheres agricultoras, protegendo recursos naturais e ampliando as iniciativas que são bem sucedidas”, destaca James C. Borel, vice-presidente executivo da DuPont.

Sobre o Comitê Consultivo da DuPont para Inovação e Produtividade na Agricultura

O comitê é formado por um grupo de especialistas em desenvolvimento global da agricultura, ciências, política e economia. São eles: o ex-senador Tom Daschle (presidente); Jason Clay, vice-presidente sênior de transformação de mercados do World Wildlife Fund; Charlotte Hebebrand, diretora geral Associação Internacional de Indústrias de Fertilizantes; Jo Luck, ex-presidente e CEO da Heifer International e ganhadora do World Food Prize; Ruth Oniang’o, fundadora e diretora da Rural Outreach Africa; J.B. Penn, economista-chefe da Deere & Co.; e Pedro Sanchez, diretor do Centro de Agricultura e Segurança Alimentar do The Earth Institute, da Universidade de Columbia, e ganhador do World Food Prize.

Fonte: Agrolink