Que métodos são mais usados para o forçamento da brotação?

O viveirista pode usar três métodos:
• Corte total ou decotamento: o porta-enxerto é cortado de 5 a 8 cm acima do enxerto, servindo o toco como primeiro tutor da brotação. Esse corte, processo mais usado nos viveiros brasileiros, é feito em torno de 5 dias após a retirada da fita de plástico.
• Curvamento do “cavalo”, sem corte: a haste é curvada de modo que a borbulha fique no topo da curvatura, amarrando-se o porta-enxerto ao da frente ou a seu próprio colo. Por não usar nenhum processo traumático, o curvamento do cavalo, sem corte, pode antecipar a formação da muda em até dois meses.
• Curvamento com corte: faz-se um corte a 5 cm acima do enxerto e do mesmo lado, tombando a seguir a haste para o lado oposto.
Quando atingir cerca de 5 cm, amarra-se o broto ao toco, ou “cabide”, acima do enxerto. O tutoramento é feito quando o broto atingir cerca de 20 cm. O tutor deve ter 90 cm de comprimento e ser enterrado até ficar com 50 a 60 cm de altura, para demarcar a altura de desponte das cultivares de laranja, limão e pomelo, e com 40 a 50 cm, para demarcar o desponte das tangerinas.

Fonte:  Embrapa – Produção de Mudas – 500 perguntas e respostas