Máquinas e Implementos Agrícolas

Quase sempre relegado a um segundo plano, o trabalho adequado de abastecimento dos pulverizadores faz parte da logística e é o início de uma pulverização perfeita.

Toda prática agrícola, para que seja executada com qualidade e eficiência, requer organização, conhecimento, controle e segurança. E é no âmbito desses fatores que estaremos discorrendo neste artigo sobre a operação de abastecimento de pulverizadores. Para iniciar a pulverização, teremos que dispor os produtos e equipamentos necessários para a aplicação, a fim de que não ocorram contratempos que nos façam perder rendimento. Nesse momento, deveremos observar os seguintes itens: • Utilização dos produtos – Deve-se fazer um cálculo das quantidades de produtos que serão utilizados durante o dia ou durante um determinado período de trabalho. Por exemplo, o número de bombas (tanques de 2 mil litros) que serão aplicadas e, de acordo com as doses de cada produto, definir suas quantidades que serão retiradas do estoque. • Apoio para os produtos e equipamentos – Normalmente se usa uma carreta agrícola em boas condições de manutenção para transportar e servir de bancada para os produtos e equipamentos. A carreta deve ser colocada num local plano e com trava nas rodas. Se não for esse o caso, pode ser feito uma bancada de madeira no local de abastecimento, para depositar alguns dos utensílios de modo a não ficarem em contato com o chão ou com o mato. Serve também para facilitar as anotações, não se atrapalhar com as dosagens, manusear tambores ou bombonas com registros etc. Pode-se ainda utilizar estrados (pallets) no chão. Evitar locais de abastecimento aonde se formem poças de água e barro. Dos equipamentos, podem fazer parte: 5 a 6 baldes plásticos de 20 litros para pré-mistura dos produtos, pá de madeira para usar nos baldes, copos graduados para dosagens ou vasilhas com medidas específicas, por exemplo 1 L, 2 L, 4 kg, 5 kg etc. Não apenas isso, mas também lona para cobrir os produtos em caso de chuva, sabão para limpeza das mãos, caixa de ferramentas e peças para reparos rápidos em tratores e pulverizadores. Na maioria das vezes, é o próprio tratorista ou operador do conjunto trator/pulverizador, tanque ou caminhão reabastecedor, que faz o preparo da calda para pulverização e o próprio abastecimento do tanque. Quando há um número grande de operadores num mesmo ponto de abastecimento, define-se uma pessoa que ficará responsável especificamente por esse trabalho. De qualquer forma, ele deve ser orientado (treinado) para isso. Ter agilidade para não deixar outros operadores esperando e perdendo tempo, conhecer alguns detalhes dos produtos com os quais está trabalhando e a respeito de misturas, saber a ordem de colocação dos defensivos no tanque, além de saber ler e escrever, são condições desejáveis. A fim de facilitar o controle da operação, deve-se dispor os baldes na ordem de preparo e abastecimento das pré-misturas, sendo que pode haver uma marcação nesses baldes com os nomes dos produtos. Também deve-se ter uma prancheta, com planilha própria para anotação do número de bombas aplicadas, produtos que foram usados, número do talhão, data, operadores e pulverizadores que trabalharam, observações a respeito do clima (chuva, vento etc).

Segurança e higiene

Para estacionar no local de abastecimento, o tratorista deve colocar o trator de modo que saia direto para o local de pulverização sem precisar ficar fazendo manobras com o tanque cheio. Deve-se começar a colocar os produtos no tanque do pulverizador quando o mesmo tiver pelo menos um quarto de água. O pulverizador pode estar com o “agitador” ligado para fazer a homogeneização da calda. Procurar deixar um espaço de 10 cm sem calda para que não haja transbordamento do produto pela boca do pulverizador, o que pode fazer perder produto e contaminar o local. Usar as plataformas de abastecimento do pulverizador para facilitar despejar a prémistura no tanque com segurança. A segurança, a higiene e a limpeza são importantes nessa operação. No manuseio dos produtos, não deixar tampas, anéis de trava das tampas e embalagens jogadas pelo chão. Aliás, esse material, juntamente com as embalagens (após realização da tríplice lavagem) devem ser colocados nas caixas, de boca para baixo para facilitar o escorrimento de algum líquido que ainda contenham e depois serem perfurados, inutilizando-os. Outros tipos de embalagens também deverão ser colocados em local apropriado para depois serem removidos. Vale lembrar as Normas Técnicas para Produção Integrada de Citros, no item 10.4, que discorre sobre preparo e aplicação de agroquímicos (mesmo para quem ainda não faz parte desse programa de produção): • Itens obrigatórios: obedecer as recomendações técnicas sobre manipulação de agroquímicos, conforme legislação vigente; preparar e manipular agroquímicos em locais específicos e construídos para esta finalidade; operadores devem utilizar EPI Equipamentos de Proteção Individual.• Itens proibidos: Manipular e aplicar agroquímicos na presença de crianças, pessoas alheias à atividade e animais; utilizar recursos humanos sem capacitação técnica; descartar restos de agroquímicos e lavar equipamentos em fontes de água, riachos e lagos, conforme legislação vigente.

Escrito por Aparecido Tadeu Pavani

Fonte: http://www.agrofit.com.br/portal/citros/53-citros/121-o-abastecimento-dos-pulverizadores