Soja

Publicação descreve pesquisa sobre cultivares resistentes a doenças da soja

31/10/2016

Para compartilhar os resultados do desenvolvimento de cultivares resistentes a doenças, a Embrapa está lançando a publicação Seleção de linhagens de soja da Embrapa para resistência a doenças: histórico de 2008 a 2014. Nesse período, a equipe de fitopatologia da Embrapa Soja participou da geração e do lançamento de 97 cultivares de soja, sendo todas com boa sanidade.

A resistência genética de plantas é um dos principais métodos de controle que se pode dispor contra doenças em culturas agrícolas comerciais, por isso, uma das importantes etapas do desenvolvimento de cultivares. No caso da soja, esse trabalho vem possibilitando que a Embrapa gere cultivares com altos níveis de resistência a diversas doenças, o que melhora o potencial produtivo e diminui o custo de produção com a redução de produtos químicos.

A publicação objetiva disponibilizar informações sobre: algumas doenças, como os testes para resistência a doenças foram realizados pela Embrapa entre 2008 a 2014 e de que forma esses testes têm favorecido o melhoramento de cultivares. “Esperamos que esse documento seja uma fonte de consulta a quem busca informações sobre o papel das doenças dentro de um programa de melhoramento e de como realizar os testes para seleção de plantas resistentes”, indica o pesquisador Rafael Soares, um dos autores da publicação.

O Brasil semeou 33 milhões de hectares de soja na safra 2015/16 em 16 estados. “Em razão dessa amplitude, nosso programa de melhoramento seleciona os materiais diretamente nessas regiões, propiciando a seleção dos mais adaptados a cada condição”, diz.

A Embrapa e seus parceiros possuem bases de testes para o desenvolvimento de cultivares em diversas regiões do País. Todos os anos, a Embrapa Soja recebe amostras de cada uma dessas regiões, para a avaliação da reação quanto às principais doenças. “Os métodos desenvolvidos para testes em casa de vegetação permitem que todos os materiais sejam avaliados no mesmo ambiente e ao mesmo tempo, aumentando a eficiência do processo de seleção e uniformizando os resultados”, explica Soares.

Existem quatro doenças rotineiramente avaliadas: cancro da haste [Diaporthe aspalathi (sin. D. phaseolorum var. meridionalis)], mancha olho-de-rã (Cercospora sojina), podridão radicular de Phytophthora (Phytophthora sojae) e pústula bacteriana (Xanthomonas axonopodis pv. glycines). Além dessas doenças, o programa de melhoramento da Embrapa também testa materiais quanto a reação à ferrugem asiática, à mancha-alvo, ao oídio, ao mofo branco, à mancha bacteriana marrom e à podridão vermelha da raiz. “Essas não foram incluídas no levantamento, pois os testes não são realizados com a mesma frequência que para as quatro doenças citadas inicialmente, além de serem realizados, muitas vezes, em seleções específicas de linhagens para cada doença”, explica Soares. Também é testada na Embrapa Soja, a reação de linhagens para os nematoides do cisto e de galhas e a reação para o mosaico comum da soja e para a necrose da haste.

Serviço

Lançamento de publicação: Seleção de linhagens de soja da Embrapa para resistência a doenças: histórico de 2008 a 2014.

Disponível para baixar: http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/148979/1/Doc-376.pdf

Fonte: Embrapa