Mudas e Sementes

Proteção com alta tecnologia

27/05/2014

Dados da Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem) revelam que a produção nacional de sementes saltou de 1,6 milhão de toneladas, em 2001, para mais de três milhões na safra 2012/13. Especialistas ressaltam que a própria característica continental do País favorece a produção de sementes de alta qualidade, de diferentes espécies e em diferentes condições edafoclimáticas. Um cenário animador para quem produz e dissemina tecnologia no campo.

Com o desenvolvimento da genética, da biotecnologia e os demais avanços tecnológicos na área, se fazem necessárias estratégias de manejo para a proteção das sementes e também do investimento realizado. É o que detalha Siegfrid Baumann, gerente de SeedGrowth da Bayer CropScience.

1)    Além da aquisição de sementes de qualidade e certificadas, quais outros procedimentos o produtor rural pode investir para evitar perdas nas lavouras?

Além de o produtor utilizar sementes de qualidade, a aquisição de sementes certificadas e de boa procedência associadas ao tratamento de sementes são práticas que proporcionam maior segurança do investimento que ele está realizando. No caso de tratamento de sementes, falamos em tratamento com fungicidas para o controle de doenças e com inseticida para proteger a semente do ataque de pragas. Há ainda diferentes tecnologias para a aplicação destes produtos às sementes e isso pode também interferir na qualidade do tratamento e da eficiência dos produtos. Outras técnicas também devem ser consideradas, como as práticas de manejo de pragas durante o ano e a aplicação do inoculante, por exemplo, que vão ajudar as plantas na absorção de nitrogênio, elemento fundamental para seu desenvolvimento, e fazer a proteção do potencial produtivo de cada variedade.

Entretanto, é preciso ainda enfatizar que para o investimento realmente ser bem sucedido, o agricultor deve equilibrar uma série de outros fatores, como a escolha de uma variedade que seja adaptada para determinada região, obedecer às recomendações agronômicas, corrigir e adubar o solo, promover um bom manejo da área e, claro, lançar mão do tratamento de sementes com produtos eficazes e completos do ponto de vista de proteção de cultivos.

2)    O tratamento de sementes é o início do que chamamos de manejo preventivo?

O tratamento de sementes é uma pratica preventiva, ou você a trata antes da semente ir para o campo ou só conseguirá realizar aplicações foliares que, sem o tratamento de sementes, oferecem grande risco de serem curativas. A proteção das sementes tem de ser feita em um passo antes de se ir para a plantadeira. Pode ser às vésperas ou mesmo no dia do plantio – chamado de tratamento on farm e realizado pelo agricultor na fazenda –, bem como com meses de antecedência, por meio do tratamento industrial de sementes.

3)    Quais os benefícios que esse investimento oferece?

Para a cultura é protegê-la do ataque inicial de pragas e doenças, ainda no solo e em uma fase muito importante, que é a germinação da semente. Esse é o primeiro e principal benefício técnico. Assim como alguns outros ligados a produtos de nosso portfólio como o CropStar®, por exemplo, que tem ação em diferentes alvos constituindo um inseticida diferenciado para proteção da semente e da plântula (fase inicial das plantas) contra diferentes pragas, tais quais lagartas, insetos sugadores e nematoides. Ele também possui uma ação que chamamos de “Força Anti-Estresse”, já que atua no metabolismo da planta, promovendo melhor desenvolvimento, o que está ligado a maior e melhor absorção de água e nutrientes, convertendo tudo isso em um visual desenvolvimento das raízes e da parte aérea. Para o produtor, é o início da proteção do investimento em insumos e defensivos para o plantio da nova safra.

4)    Em longo prazo, o tratamento de sementes também contribui para evitar o ataque de pragas e a incidência de doenças?

Sim. O CropStar® é um bom exemplo disso, porque mesmo após a germinação da semente a proteção é estendida por cerca de três semanas, dependendo claro, das condições climáticas e da pressão de pragas. Contudo, é preciso enfatizar que se as condições não estão favoráveis, o produtor plantou um pouco mais tarde e a pressão está grande, com certeza será necessária uma estratégia de manejo para a proteção das plantas e do potencial produtivo.

5)    O tratamento é uma ferramenta para aumentar o desempenho das sementes – principalmente daquelas variedades ou híbridos de alto potencial produtivo? Por quê?

Se não protegermos a planta, ela estará suscetível ao ataque de pragas e doenças, e gastará energias para recompor aquelas partes que foram perdidas. Essa proteção visa direcionar a planta para desenvolver seu potencial produtivo e não para ficar gastando energia, se protegendo de pragas, doenças ou condições climáticas extremas.

6)    Quais as soluções da Bayer CropScience para essa área?

A Bayer criou um conceito chamado Bayer SeedGrowthTM, em que estão todas as melhores tecnologias disponíveis para o tratamento das sementes. Além dos produtos para agricultura, também produzimos equipamentos para tratamento de sementes – considerados pelo mercado os melhores do mundo em função da qualidade, precisão de aplicação e preservação da semente – e recobrimentos, que são produtos adicionados no tratamento industrial com o objetivo de melhorar a aderência dos produtos às sementes, além de plantabilidade e a fluidez no momento do plantio. Outra frente importante refere-se aos serviços e treinamentos técnicos, ou seja, orientações, recomendação de produto e dose, regulagem e calibração de equipamento, testes de qualidade, capacitação de equipe de operadores das máquinas, dentre outros, realizados por meio do SeedGrowthTM Center. Além disso, têm as sementes Bayer CropScience, como por exemplo o algodão FiberMax® e a tecnologia para soja da SoyTech®. Em resumo, são cinco frentes: produto, equipamento, recobrimento, serviço e sementes.

7)    O CropStar é o produto diferenciado do portfólio da Bayer para a proteção das sementes. Quais os benefícios que ele oferece às sementes e os benefícios aos produtores?

O produto age no controle de pragas iniciais e no desenvolvimento forte das plantas de soja, milho, algodão, amendoim, arroz, aveia, feijão, mamona, girassol, cevada, sorgo e trigo. Seu principal objetivo é proteger as lavouras contra pragas sugadoras (como pulgões e percevejos), mastigadoras (lagartas) e nematoides. Além disso, atua no sistema da planta, promovendo a ação denominada FAS (Força Anti-Estresse), que ajuda em um melhor estabelecimento das plantas na área de cultivo, no desenvolvimento de raízes e parte aérea e contribuindo para a produtividade da lavoura. A formulação do CropStar® foi desenvolvida especificamente para aplicação via tratamento de sementes, com isso tem-se uma quantidade equilibrada de ativos e agentes que fazem com que o produto seja totalmente aderido à semente.

8)    Neste ano a Bayer CropScience comemora 100 anos de inovação em tratamento de sementes. Nesse período o que você destaca de novidades que a companhia trouxe para o mercado?

Há 100 anos lançamos o primeiro produto para tratamento de sementes e de lá pra cá as inovações nunca pararam. No decorrer deste período também incorporamos sementes, trouxemos equipamentos, melhoramos a qualidade e a condição de trabalho do agricultor. Atualmente, o que temos de mais inovador é o tratamento industrial de sementes. Primeiro, pelo portfólio de produtos, tanto em fungicida, quanto inseticidas, filmcoatings (ou polímeros), inoculantes – que foram recém-incorporados – e outros biológicos. Segundo, pela qualidade do tratamento em função do equipamento, que permite aplicação mais adequada e precisa dos produtos. Terceiro, pela assistência técnica de ponta e serviços prestados aos clientes e ao mercado.

Fonte: Agrolink