biblioteca

Produtores rurais protestam nas rodovias nesta sexta-feira (14)

12/06/13

Apesar da recomendação da CNA (Confederação Nacional da Agropecuária) de que os produtores não tranquem as rodovias federais e estaduais do Brasil, lideranças do movimento acreditam que será difícil evitar ações desse tipo pelos  manifestantes  no protesto que acontece nesta sexta-feira, 14 de junho, contra os processos de demarcação de terras indígenas que estão acontecendo por todo o Brasil. “A revolta do setor produtivo é muito grande”, informou uma nota da Federação da Agricultura de Santa Catarina (Faesc).

O movimento está sendo coordenado pela Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), com a participação da CNA e das federações estaduais e a orientação é de que seja um protesto pacífico. Cada estado e região organizará mobilizações em rodovias, praças e locais com grande circulação de pessoas. O movimento acontece das 9h às 14h, e o Notícias Agrícolas transmite AO VIVO todas as principais informações a partir das 8h.

O movimento acontece simultaneamente em vários estados, como Mato Grosso, Santa Catarina, Rio  Grande do Sul, Bahia, Paraná, Pará e Mato Grosso do Sul, estado que deverá ter a maior concentração de manifestantes, com a expectativa de receber 20 mil pessoas.

Nas últimas semanas, muitos conflitos entre indígenas e produtores rurais foram registrados pelo país. O estado Mato Grosso do Sul foi o que  teve a maior repercussão na mídia, depois que um  um índio Terena morreu durante o processo de desocupação da fazenda Buriti.

Diante disso e da falta de um posicionamento do governo federal e da apresentação de soluções efetiva para o problema dos conflitos, produtores rurais de todo o Brasil estão se unindo por essa causa. Mais do que isso, o principal pleito do setor produtivo brasileiro é segurança jurídica e “paz no campo”, como dizem os convites e convocações para a mobilização. “Apoiamos o diálogo sem conflitos para que os direitos de todos sejam assegurados em nome do desenvolvimento do setor e também do respeito e preservação das questões indígenas”, registrava o convite da Faesc.

Atualmente, o Brasil possui 12,7% do território nacional com áreas indígenas para cerca de 817 mil índios. As 5,2 milhões de propriedades rurais ocupam 38,8% do país. Os indígenas representam 0,43% da população brasileira e, seguindo os atuais processos de demarcações de terra, a Funai (Fundação Nacional do Índio) pretende criar mais 611 novas reservas, com o percentual de terras destinadas aos índios podendo chegar a 25%.

Nos links abaixo, confira entrevistas de lideranças do agronegócio e deputados federais que estão coordenando e apoiando o movimento desta sexta-feira:

>> Osmar Serraglio – Deputado Federal do PMDB/PR

>> Maria Neide Casagrande – Presidente do Sindicato Rural de Tacuru/MS

>> Ricardo Wilham Daher – Presidente do Sindicato Rural de Tangará da Serra/MT

>> Ronaldo Caiado – Deputado Federal DEM/GO

>> Giovani Queiroz – Deputado Federal PDT/PA

>> Luis Carlos Heinze – Deputado Federal PP/RS

>> Francisco Maia – Presidente da Acrissul

Fonte: Notícias Agrícolas //