Pecuária

Produtores e técnicos de Rolador debatem formas de manejo para melhoria na qualidade do leite

21/07/2016

Preocupados em oferecer um alimento com mais qualidade, produtores de Rolador, integrantes do programa de Promoção da Agricultura Familiar Sustentável na Cadeia Produtiva do Leite, também conhecido como Chamada Pública do Leite, participaram de um momento de troca de experiências e construção de conhecimento sobre técnicas e formas de manejo que contribuem para a qualidade do leite. Os encontros, promovidos pela Emater/RS-Ascar, foram realizados nos últimos dias 07 e 15/07, nas comunidades do Passo do Quaresma e Passo Novo.

Na pauta das reuniões estiveram os elementos que contribuem para a qualidade do leite, o controle da contagem de célula somáticas (CCS) e bacteriana (CBT), incentivo ao uso do teste da raquete e teste da caneca de fundo preto, além de demonstração de uso e preparo de solução pré e pós-dipping com plantas bioativas, atendendo à demanda de agricultores por alternativas de baixo custo. Na oportunidade reiterou-se o conceito de leite de qualidade que, segundo a extensionista da Emater/RS-Ascar Carla Sausen, ?é aquele que apresenta cor, sabor e aroma característicos, alto valor nutritivo, com baixas CCS e CBT e sem substâncias contaminantes ou adulterantes?.

Nas reuniões, os agricultores também levaram a nota do leite, sendo realizada a análise da quantia de CCS de cada um, geralmente causadas por mastite, e possibilidades de evitar perdas na produção e qualidade do leite. A extensionista Tamires Scheis reitera que há diversas estratégias de controle da mastite, como instalações limpas, em ambiente tranquilo e distante de fontes de contaminação; limpeza, desinfecção, regulagem e substituição periódica das borrachas das ordenhadeiras; manter o teto limpo e seco para a ordenha e retirar os primeiros jatos, entre outras práticas.

Os encontros fazem parte da Chamada Pública do Leite que, em Rolador, contempla 17 famílias rurais beneficiadas com Assistência Técnica e Social continuada e gratuita ao longo de três anos para o desenvolvimento da atividade leiteira e da melhoria da qualidade de vida da família.

Fonte: Emater – RS