Produtores de soja de MS lucram com o aumento do dólar

pnmralex (CC0), Pixabay

21/08/2018

A colheita da soja ocorreu no primeiro semestre do ano, mas quem conseguiu segurar o produto, agora está ganhando um bom dinheiro.

Foram seis meses esperando o melhor momento para vender a soja. Hildomar Muller Ichaeldt, gerente de uma fazenda em Campo Grande, diz que só agora as 30 mil sacas estão sendo negociadas. A estratégia de segurar os grãos desde a colheita deu certo. “Compensou segurar, porque agora está um preço bom e a expectativa é de melhorar mais ainda”, afirma.

Essa semana, a saca de 60 quilos da soja chegou a ser vendida a R$ 78 em Mato Grosso do Sul, aumento de 36% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os agricultores do estado já comercializaram aproximadamente 80% da safra. Quem tem soja disponível aproveita para esperar preços mais atrativos e os armazéns se ajeitam como podem.

A soja brasileira está sendo beneficiada pela guerra comercial entre Estados Unidos e China. A soja norte-americana é um dos produtos taxados pelo país asiático, situação que aumentou a demanda pelo produto no Brasil. A valorização do dólar sobre o real em 2018 também é outro fator que teria contribuído para o aumento das cotações no país

“A gente trabalhava com um câmbio pra 2017 na casa de R$ 3 e hoje estamos trabalhando próximo a R$ 4. Então, isso deu uma elevada nos preços da soja brasileira”, explica Herivelton Machado, analista de mercado.

Fonte: Circuito Mato Grosso