Laranja

Produtores de laranja poderão planejar custo de produção

Projeto da Confederação Nacional da Agricultura está coletando dados econômicos da fruta

Produtores de laranja poderão planejar o custo de produção da atividade e acompanhar os preços de outras regiões. Um projeto da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), em parceria com a Universidade Federal de Lavras, de Minas Gerais, federações e sindicatos rurais, está coletando dados econômicos da cultura. Os resultados vão se transformar em um software que poderá ajudar os produtores a reduzir custos e aperfeiçoar a atividade.

O pomar do produtor Waldemar Contim está formado há seis anos, em Cornélio Procópio, norte do Paraná. Ele mesmo plantou as mudas, que adquiriu por R$ 20 mil, à base de troca por três colheitas. O produtor diz que tem um custo  que varia de R$ 3 a R$ 4 mil com o manejo das plantas. Um deles é com o óleo diesel para o trator que faz a roçagem entre os pés de laranja.

– Anoto tudo, quando chega ao fim do ano fazemos o cálculo, mas por enquanto o retorno é só para pagar as mudas. Mas esse ano, se Deus quiser, nós vamos recuperar um pouco – conta.

As informações da colheita de Contim e dos produtores vizinhos foram levadas para uma reunião no Sindicato Rural de Cornélio Procópio. Elas  vão compor uma planilha de custos a partir da realidade econômica da região.

– Os dados colhidos junto aos produtores servem para montar uma planilha, e a partir daí definir um valor de custo de uma caixa de laranja. Com esse dado em mãos o produtor possa comparar o que ele está gastando com o que ele está comercializando,  e tomar as decisões necessárias para a gestão da sua propriedade – explica o assessor em fruticultura da CNA, Eduardo Brandão.

O projeto piloto aconteceu em São Paulo no ano passado, em cidades com produção de laranja voltada para a indústria. No norte do Paraná o alvo do encontro são os produtores de laranja de mesa. A razão é que a caixa de laranja de mesa vale mais do que o dobro daquela que segue para a indústria. Mas, se o valor de mercado é maior, o custo com o manejo do pomar também é mais elevado. Por isso, é preciso saber administrar cada detalhe da atividade.

Em 2010 o Paraná produziu 600 mil toneladas de laranjas, 90% foram para a indústria de sucos e 70% seguiram para o mercado externo. O Paraná representa apenas 2,5% da produção nacional de laranjas, mas o interesse pela commodity está aumentando no Estado.

– A renda do produtor é gerada não com a produção de frutas, mas sim com a comercialização. Por isso a questão do custo de produção é fundamental para estruturar a produção – esclarece a assessora para fruticultura da Fundação de Amparo ao Ensino e Pesquisa (Faep), Elisangeles Souza.

Os dados vão se transformar em um software que deve ser distribuído pela CNA para as associações ligadas aos produtores.

– Para o produtor ser uma empresa, para ter um lucro maior, e com isso agregar renda, e não apenas distribuir, ele tem que ser sustentável com que ganha, ele precisa ou aumentar a receita ou melhorar a utilização de recursos, ser mais eficiente reduzir o custo unitário de produção – explica o coordenador de Projetos do Centro de Inteligência em Mercados da Universidade de Lavras/Mg, Fabrício Andrade.

Fonte: http://www.agrocim.com.br/noticia/Produtores-de-laranja-poderao-planejar-custo-de-producao.html