Tabaco

Produtor de tabaco recebe aumento de 7,5% para safra 2012/2013

Publicado em 17/01/2013

Uma rodada de reuniões nos dias 15 e 16 entre a representação dos produtores e as fumageiras resultou em acordo sobre o percentual de reajuste para o tabaco na safra 2012/2013. O presidente da Fetag, Elton Weber, acompanhado de seu vice, Carlos Joel da Silva, esteve em Santa Cruz do Sul e informa que o reajuste ficou em 7,5% sobre a tabela de preços praticada na safra anterior. A variedade Virgínia TO2 custará R$ 6,99 por kg ( R$ 104,85 por arroba) e a BO1 fica em R$ 8,70 (R$ 103,50 a arroba), e será retomada de tabela única.
Além do percentual de aumento, Weber destaca ainda o acerto sobre a revisão das subclasses e a realização do levantamento do custo de produção para a próxima safra, este feito de forma conjunta entre as entidades representativas dos produtores e as fumageiras. Ele diz, também, que ficou acertada a antecipação das negociações da safra 2013/2014, para o mês de junho de 2013.
Para Weber, o acordo selado traz uma segurança maior ao produtor de tabaco, já que o reajuste acordado representa avanço em relação aos percentuais inicialmente oferecidos pelas empresas. Diz, ainda, que os demais itens acordados sinalizam ao produtor maior segurança na comercialização das safras futuras. Os produtores, que aguardavam apreensivos o desfecho das negociações para comercializar a atual safra sabendo o preço oficial praticado pelas empesas, agora ficam mais aliviados.Produtor de tabaco recebe aumento de 7,5% para safra 2012/2013
17/01
Uma rodada de reuniões nos dias 15 e 16 entre a representação dos produtores e as fumageiras resultou em acordo sobre o percentual de reajuste para o tabaco na safra 2012/2013. O presidente da Fetag, Elton Weber, acompanhado de seu vice, Carlos Joel da Silva, esteve em Santa Cruz do Sul e informa que o reajuste ficou em 7,5% sobre a tabela de preços praticada na safra anterior. A variedade Virgínia TO2 custará R$ 6,99 por kg ( R$ 104,85 por arroba) e a BO1 fica em R$ 8,70 (R$ 103,50 a arroba), e será retomada de tabela única.
Além do percentual de aumento, Weber destaca ainda o acerto sobre a revisão das subclasses e a realização do levantamento do custo de produção para a próxima safra, este feito de forma conjunta entre as entidades representativas dos produtores e as fumageiras. Ele diz, também, que ficou acertada a antecipação das negociações da safra 2013/2014, para o mês de junho de 2013.
Para Weber, o acordo selado traz uma segurança maior ao produtor de tabaco, já que o reajuste acordado representa avanço em relação aos percentuais inicialmente oferecidos pelas empresas. Diz, ainda, que os demais itens acordados sinalizam ao produtor maior segurança na comercialização das safras futuras. Os produtores, que aguardavam apreensivos o desfecho das negociações para comercializar a atual safra sabendo o preço oficial praticado pelas empesas, agora ficam mais aliviados.
Fonte: Fetag