Produtivo

Produtividade das lavouras de milho é destacada em Dia de Campo em Encruzilhada do Sul

14/03/2017

Cerca 50 pessoas, entre agricultores e técnicos da área, participaram na sexta-feira (10/03), de um Dia de Campo sobre Milho. A atividade foi realizada na propriedade do agricultor Irio Rosa Nunes, na localidade de Serra dos Rosas, interior do município de Encruzilhada do Sul e foi promovida pela Emater/RS-Ascar, com o apoio do Agrocomercial Duarte, Syngenta e Pranke Assessoria.

O evento teve como objetivo apresentar técnicas para melhorar a produtividade da cultura do milho e a rentabilidade dos produtores, e foi possível acompanhar o processo de produção. Durante o dia foram abordados assuntos referentes à conservação do solo e da água, aspectos técnicos na formação da lavoura, o milho como alternativa de rotação de culturas, especialmente com a soja, e secagem e armazenagem de grãos na propriedade rural, bem como os custos de produção da lavoura.

Para tanto, foram disponibilizadas ao público três estações temáticas. Na primeira, o assistente técnico do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar na área de Produção Vegetal, Josemar Parise, falou sobre temas relativos à fertilidade e a conservação do solo e água. Na segunda estação, o engenheiro agrônomo da Syngenta Daniel Bogoni abordou a formação de uma boa lavoura de milho e mostrou os cultivares e suas potencialidades produtivas. Na terceira, o engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar Diego Pitirini explicou sobre as vantagens do silo secador desenvolvido e difundido pela Instituição, bem como as etapas de construção.

Na ocasião, o técnico agrícola da Emater/RS-Ascar Marco Antônio Santos apresentou os custos de produção da lavoura, em especial da lavoura do anfitrião do evento. Tradicional produtor de milho no município, o agricultor Irio sempre se dedicou à cultura do milho, bem como a pecuária de corte e a ovinocultura, sendo um entusiasta desta cultura. “A Unidade Demonstrativa da propriedade rural é de três hectares (ha). Embora ainda não esteja em ponto de colheita, mas a expectativa de produção deve ultrapassar os 150 sacos por hectare, o que será conferido na ocasião da colheita”, explica Santos.

Segundo Parise, o Dia de Campo é uma forma de sensibilizar o agricultor sobre a importância da cultura do milho na propriedade rural. Além da histórica importância social, o milho também gera renda e viabiliza outas culturas no sistema de produção como soja e trigo que, em rotação ao milho, aumentam o rendimento. “No evento, os agricultores tiveram a oportunidade de conhecer uma lavoura de milho bem conduzida, formada em solo corrigido e conservado, com uso de sementes de boa qualidade, com tratos culturais realizados no momento certo e clima favorável. A soma desses fatores garantiu excelente potencial produtivo da cultura”, observa o assistente técnico.

De acordo com os dados apresentados por Santos, a lavoura implantada na propriedade rural teve um custo de R$ 1.854,33/há, incluindo a colheita. Considerando o preço atual do milho em R$ 25 o saco, o custo da lavoura ficou em 74,17 sacos/ha. “Como a estimativa de produção é de 150 sacos por hectare teremos um resultado positivo (lucro) de 75,83 sacos ou R$ 1.895,75/hectare”, destacou o extensionista. A meta é que seja construído um silo secador na propriedade. “Com isso será possível reduzir os custos de transporte e armazenagem, tendo a oportunidade de vender em períodos que o preço do produto esteja mais valorizado e, portando, obtendo resultados mais satisfatórios”, finaliza Santos.

No encerramento do evento, foi oferecido aos participantes lanche e pratos derivados de milho elaborados pelas extencionistas sociais da Emater/RS-Ascar, Carla Maria Goldasz e Valquíria Sitó. Na ocasião, também foi proposto aos participantes a continuidade deste tipo de atividades, tendo como foco, além da melhoria da renda das famílias, a conservação do solo e da água.

Fonte: Emater – RS