Produção leiteira do TO cresce 45% em uma década

14/08/13
A produção leiteira no Estado vive um bom momento. Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foram 269,8 millhões litros produzidos no Estado em 2012. O aumento é de 45% em relação ao ano de 2002, quando o Tocantins produzia 186 milhões de litros. A diferença é de cerca de 83 milhões de litros em uma década. Desde a criação do Tocantins, em 1989, o aumento chega a 200%. O crescimento está relacionado não só ao aumento do rebanho, mas também a uma melhor produtividade por cabeça.

Dentre as ações desenvolvidas pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro), para incentivar esse aumento da produção está o Programa de Ação de Melhoramento Genético do Rebanho Tocantinense, que desde o ano de 2008 já beneficiou mais de 300 propriedades rurais, protocolando 17 mil matrizes em 43 municípios tocantinenses. Para 2013, a meta da Seagro é potencializar as ações de melhoramento genético ao realizar cinco mil procedimentos de inseminação artificial em tempo fixo (IATF).

O médico veterinário da Seagro Cláudio Sayão explica que o programa garante maior produtividade das vacas ordenhadas, o que gera menos custos aos produtores. Ele conta que em vários municípios os produtores participantes do programa aumentaram significativamente a quantidade diária de leite, pois os animais melhorados geneticamente passaram por processo de melhoria do grau de sangue.

Para participar do projeto, o produtor deve entrar em contato com a Seagro ou com Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e apresentar comprovantes de vacinação do rebanho e de exames. Além de mencionar o peso, a idade das matrizes e informar sobre a questão sanitária e nutricional do rebanho.

Câmara

E visando também aumentar a produção leiteira no Estado, a Câmara Setorial do Leite encerrou na manhã desta quarta-feira, dia 14, a elaboração das propostas que farão parte do Planejamento Estratégico desenvolvido pela câmara. O planejamento visa ainda melhorar a capacidade técnica, a qualidade dos produtos, a assistência técnica, a qualidade de vida dos produtores, viabilizar a industrialização, comercialização, logística, infraestrutura e gestão da informação para o setor.

A reunião da câmara começou na terça-feira, dia 13, em Palmas. Segundo Sayão, o documento passará agora pelos ajustes finais e será remetido aos participantes da câmara, composta por 30 entidades, para que possam consentir com os compromissos firmados. Posteriormente, o documento, que tem ações a curto, médio e longo prazo, será assinado.

 

Fonte: Agrolink