Cadeia Produtiva

Produção de Mel

A produção de mel de seringueira pode ser uma alternativa de exploração em pequenas propriedades que tem seringal implantado. No entanto, nem todos os clones comerciais são produtores de néctar.

O néctar se encontra em glândulas extraflorais localizadas na junção dos três folíolos jovens.

A máxima produção de néctar ocorre na fase de reenfolhamento, fase de transição da coloração bronze para o verde claro.

Cerca de 30% do mel de seringueira produzido na Índia é coletado no período de reenfolhamento da copa das plantas, que ocorre entre os meses de janeiro a março naquela região.

A apicultura tem sido uma opção nos seringais asiáticos, sendo que aproximadamente 45% do mel produzido na Índia é originado de seringais.

Essa técnica tem exigido a domesticação de abelhas da espécie Apis cerana oriunda desses seringais.

Para suprir a alimentação das abelhas quando as árvores de seringueira não estão produzindo néctar, existem plantas forrageiras, fontes potenciais de néctar e devem ser plantadas em lugares comuns na propriedade como cercas, divisas ou espaços vagos no seringal.

Devido à coleta constante nas colméias o mel é límpido e contêm alta umidade. Logo, no processamento, para que haja uma concentração maior do mel, o mesmo deve descansar por alguns dias à luz do sol.

Fonte:  http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/historia-da-borracha/seringueira-5.php