Pecuária

Produção de leite sustentável é destaque de Seminário em Vale do Sol

06/07/2017

Com o objetivo de apresentar um modo sustentável da produção leiteira nas propriedades rurais foi realizado nesta quarta-feira (05/07), no Salão da Comunidade Católica, no município de Vale do Sol, o Primeiro Seminário Regional sobre Bovinocultura de Leite. O evento contou com a participação de cerca de 270 pessoas, entre agricultores, estudantes e técnicos da área, de 28 municípios da região.

As atividades iniciaram no período da manhã com a palestra ministrada pelo engenheiro florestal da Afubra Juarez Pedroso, que falou sobre o sistema silvipastoril, o qual integra produção de árvores como o eucalipto, com pastagem e pecuária. Em seguida, o médico veterinário da Emater/RS-Ascar Ricardo Machado falou sobre “Bases para produção sustentável de leite”. Segundo Machado, 75% das propriedades rurais em que a bovinocultura de leite é desenvolvida são de agricultores familiares, com área média de 19 hectares, e produção média de 200 litros de leite ao dia.

O médico veterinário destacou cinco aspectos da produção de leite sustentável. O primeiro se refere à produção de leite a pasto no sistema de pastoreio Voisin, que tem no piqueteamento das pastagens a estratégia de alimentação dos animais. “A pastagem deve ser a principal fonte de alimento dos animais. No sistema de piqueteamento, o produtor respeita o período de descanso das plantas o que resulta em pastagens perenes, disponíveis durante todo o ano, e alimento de melhor qualidade nutricional”, explica Machado, orientando que o ideal é construir pelo menos 50 piquetes quadriláteros e em tamanho proporcional à área disponível destinada à pastagem, além de disponibilizar água em quantidade e qualidade aos animais nos piquetes.

O segundo aspecto explicado refere-se ao manejo do agroecossitema com destaque para o sistema silvipastoril e o campo nativo. Machado ressaltou o manejo ecológico do solo, priorizando a adubação orgânica como terceiro aspecto e a ética e bem-estar animal, com o uso de tratamentos homeopáticos e fitoterápicos que são menos agressivos com vistas a dar condições dos animais expressarem o seu comportamento natural. E, por último, a reprodução social dos agricultores com o uso de tecnologias existentes para reduzir a penosidade do trabalho, a geração de renda liquida por hectare acima de R$ 5 mil e, consequentemente, a sucessão rural na Unidade Produtiva Familiar.

Encerrando as atividades da manhã, foi realizada a palestra “Genética adaptada à produção de leite a pasto”, pelo médico veterinário e sócio-proprietário da GenSur-Genética, com matriz no Uruguai, Mario Álvarez.

No período da tarde o público participou da abertura oficial do Seminário, que contou com a presença da gerente do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Soledade, Lucia Souza, e do vice-prefeito e secretário de Agricultura de Vale do Sol, Normélio Reckers, e pode acompanhar a apresentação da Plataforma de Compras do Arranjo Produtivo Local (APL) de Agroindústria e Alimentos da Agricultura Familiar do Vale do Rio Pardo, feita pelo gestor executivo do APL, Jesus Edemir Rodrigues.

Em seguida, foi realizada a palestra motivacional “Mudando de vida produzindo leite”, ministrada pelo produtor de Alta Floresta, cidade do Estado de Mato Grosso, Nivaldo Michetti, que há 27 anos tem na produção de leite a principal fonte de renda da família. Michetti relatou as dificuldades e êxitos obtidos na produção leiteira. “Antes de tudo precisa de orientação técnica, discutir sem medo com o técnico, ser realista e corajoso e seguir todas as orientações e reciclar os seus conhecimentos. As pessoas são resistentes à mudança, mas é preciso mudar de atitude antes de mudar de atividade, considerar que a falha está em nós e não na atividade, porque tudo que é bem feito tem resultado em todos os segmentos e no leite não é diferente”.

O agricultor Adalberto Grasel, do município de Passo do Sobrado, foi um dos participantes do evento. O produtor, que há quatro anos investe na atividade leiteira como forma de diversificar a propriedade rural, possuí atualmente 19 vacas, sendo que 14 delas estão em período de lactação, com uma produção média de oito mil litros por mês. “Fiz o processo inverso, e voltei a residir no meio rural e vi na produção de leite a possibilidade de renda mensal. Achei o seminário excelente! Os temas apresentados pela manhã são práticas que desenvolvo na minha propriedade e agregou mais conhecimento, mas a palestra da tarde que mostrou que temos que ir atrás do que queremos e ter persistência e me motivou a continuar na produção”, relatou Grasel, que tem na sua propriedade rural uma das Unidades de Referência Técnica (URT) de forrageiras de inverno da Emater/RS-Ascar.

O Primeiro Seminário Regional sobre Bovinocultura de Leite foi promovido pela Emater/RS-Ascar, Associação dos Produtores de Leite de Vale do Sol, Prefeitura de Vale do Sol e Arranjo Produtivo Local (APL) de Agroindústria e Alimentos da Agricultura Familiar do Vale do Rio Pardo; realizado pelo Grupo Coletivo do Leite do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Soledade com o apoio da Afubra, GenSur-Genética e Sicredi.

Fonte: Emater – RS