Gerenciamento de Produção

Produção de derivados de cana-de-açúcar cresce em MT

10/01/2011

Mesmo com redução de 1,5% na produção de cana-de-açúcar em Mato Grosso, a quantidade de açúcar e etanol produzida cresceu em relação a última safra. De acordo com o terceiro levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o volume de açúcar produzido na safra 2010/2011 é 10,7% superior ao da safra 2009/2010, saindo de 414,2 milhões de toneladas para 458,7 milhões (t). O volume do etanol variou de 825,35 milhões de litros para 860,63 milhões (l), crescimento de 4,27%.

A diferença entre a produção da commodity e de seus subprodutos é consequência da estiagem que atingiu a última safra. A área plantada com cana-de-açúcar teve incremento de 2% e passou de 202,98 mil hectares para 207,05 mil (ha), porém com uma queda de produtividade de 69,19 mil kg/hectare para 66,82 mil kg/ha, o que provocou uma redução de 14,04 milhões de toneladas para 13,83 milhões (t) de cana-de-açúcar.

O diretor-executivo do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindálcool), Jorge dos Santos, explica que com a menor quantidade de chuvas, diminui a produção da cana, porém com menos líquido, a planta tem um maior rendimento. “Aumenta a concentração de açúcar e com isso ela produz mais”. O gerente industrial da usina Itamaraty, Rafael Capriolli Gonçalves, confirma que houve um melhor aproveitamento da cana-de-açúcar porque diminuiu o volume de água. “Também tivemos uma menor produção, mas conseguimos aproveitar mais deste montante”, afirma ao ressaltar, porém, que não sabe se o melhor aproveitamento compensou as perdas nos canaviais.
Com relação à safra 2011/2012, Jorge dos Santos diz que o setor está preocupado com a falta de chuvas e que os produtores vão requerer junto ao Ministério da Agricultura medidas de apoio. “A cana-de-açúcar não está se desenvolvendo no campo. Vamos tentar uma linha de crédito especial para fazer o replantio”. Quanto aos número, Santos diz que um levantamento do Sindálcool é realizado e que em breve poderá dimensionar o impacto da estiagem.

No país, o incremento na produção foi de 3,4% e passou de 604,51 milhões de toneladas para 624,99 milhões (t). No Centro-Oeste o aumento foi de 24% na produção de cana-de-açúcar, isso puxado pelos estados de Goiás e Mato Grosso do Sul que registraram um acréscimo de 19,7% e 47,4%, respectivamente. Mato Grosso é o que menos produz e sua representação na região é de 14%.

Fonte: Gazeta Digital