Curiosidades

Produção de alimentos saudaveis por meio de CSA

22/08/13
O nome, principalmente grafado em inglês, pode parecer algo super revolucionário, novíssimo, mas na verdade é quase uma volta a um passado não tão distante, mas sufocado pela praticidade do dia a dia, nesse passado os alimentos plantados não tinham agrotóxicos. A ideia do CSA, que traduzido para o português significa Agricultura Sustentada pela Comunidade, é justamente provar que comer de forma saudável pode ser prático e, principalmente, algo ao alcance de todos. 

O assunto será tema de palestra no IX Congresso Internacional de Nutrição Clínica Funcional e Nutrição Esportiva Funcional, promovido pela VP – Consultoria Nutricional, apresentada pelos experts Dr. Richard Charity, da Alemanha, e pela Dra. Valéria Paschoal, do Brasil, diretora da VP, organizadora do evento.

“Quem não gostaria de ter frutas e verduras orgânicas ou biodinâmicas colhidas no máximo 12 horas antes, em quantidade e variedade pré-definida e ainda a um preço menor do que o equivalente orgânico nos supermercados?”, pergunta o Dr. Richard.

Com o sistema CSA – Community Supported Agriculture –, isso é possível. Ele permite que um grupo de consumidores reúna-se ao redor de um ou mais produtores, perto de sua comunidade, passando a atuar como co-produtores, participando, inclusive, das decisões que levam à produção de seus alimentos.

Principais diferenças da agricultura orgânica/biodinâmica para a agricultura convencional

  • Respeito ao ciclo das estações do ano e às características da região
    Solo tratado como um organismo vivo
    Proteção e diversificação da fauna e da flora
    Colheita de vegetais na época de maturação, sem processos de indução artificial
    Rotação e consorciação de culturas
    Uso de adubos orgânicos e reciclagem de materiais na propriedade
    Tratamentos naturais contra pragas e doenças dos vegetais
    Plantas invasoras manejadas sem herbicidas
Atualmente 1/4 do consumo no Japão ocorre pelo sistema CSA lá chamado de Teikei. Imaginamos o CSA como forma associativa de consumir com qualidade, frescor e preços mais acessíveis a todas as pessoas, ideal altivo, mas possível de ser alcançado com o tempo e conscientização do consumidor.

Hoje há três principais problemas pelos quais passam os produtores orgânicos, e que muitas vezes os obrigam a abandonar suas atividades:
1. Não ter tempo suficiente para a produção, o processamento e comercialização de seus produtos;
2. Preços dos produtos oscilantes no decorrer do ano e fluxo de caixa imprevisível;
3. Isolamento, falta de estímulo, arcando com 100% do risco da operação agrícola;

“Na palestra vamos abordar os detalhes de como montar em sua localidade um grupo destes, iniciando uma nova forma de relacionamento entre o consumo e a produção de hortifrutigranjeiros orgânicos no chamado circuito curto de comercialização, mais eficiente, econômico e melhor para o planeta”, informa o Dr. Richard.

Por que optar pelos alimentos produzidos pela Agricultura Sustentada pela Comunidade?

No Congresso da VP Consultoria Nutricional serão apresentados os novos agricultores do CSA Brasil

Os motivos não são poucos. A seguir 10 motivos para que esse tipo de alimento faça parte da mesa do brasileiro.

1. Produção orgânica / Alimentos frescos: garantia de um alimento saudável, limpo, produzido por gente comprometida e profissional. Nesse sistema você contrata o recebimento semanal de verduras e frutas recém-colhidas, onde você define a quantidade e a variedade de produtos que deseja receber, garantindo frescor e vitalidade para sua família;
2. Fazer parte: a cada ano você renova seu compromisso como co-responsável pela produção de alimentos da sua família, podendo fazer parte da produção, ajudando a tomar decisões, participando ativamente da troca de informações seja em reuniões presenciais e virtuais.
3. Preço justo: os alimentos biodinâmicos, produzidos nas CSA, não são mais caros. Na maior parte do ano, a produção chegará aos associados cotistas a um custo menor que os seus equivalentes orgânicos no mercado, alinhando bom investimento da família e apoio ao produtor local, porém com o justo e necessário compartilhamento de riscos.
4. Hábitos alimentares: a oferta de novos produtos e receitas de preparação renovarão o seu cardápio com cores, sabores, formas diferentes do cardápio convencional.
5. Educação na prática: abra as possibilidades de conhecimento da Natureza e do alimento para suas crianças, abrindo caminho para o aprendizado na prática – o mundo da Fazenda no dia-a-dia das crianças.
6. Cidadania: seja um agente de mudança contribuindo solidariamente com a agricultura orgânica, permitindo que o produtor rural permaneça em sua área de produção, assegurando áreas verdes próximas da cidade (expansão imobiliária), trazendo uma maior segurança financeira ao produtor, que finalmente pode se dedicar integralmente àquilo que mais sabe fazer: produzir.
7. Da terra ao prato: o produtor sabe para onde vai e quem consome a sua produção, gerando um sentimento de responsabilidade pela saúde dos seus consumidores e fidelidade mútua. O chamado circuito curto de distribuição de alimentos orgânicos assegura a quase eliminação de desperdício, diminuição do emprego de energia desde a colheita até o consumo;
8. Economia associativa:embarque em uma nova economia, baseada em responsabilidade social e ambiental, compartilhamento de riscos, trabalho e planejamento em grupo, saindo da relação convencional de perde-ganha e ingressando na relação do ganha-ganha.
9. Estudo e Pesquisa:o sistema CSA Brasil permite amplo acesso à participação de estagiários e pesquisadores no sistema produtivo e de comercialização.
10. Celebração: oportunidade de resgate de eventos cíclicos, participação direta nos ritmos de um sítio orgânico, festividades, colheita, solstícios resgatando o espírito e conhecimentos típicos de comunidades rurais.

Os EUA têm mais de 2.500 CSAs, a maioria localizada nas proximidades dos centros urbanos na Nova Inglaterra, os Estados Mid-Atlantic, e na região dos Grandes Lagos, com números crescentes em outras áreas, incluindo a Costa Oeste.

Richard Charity
Atua há 28 anos em sistemas agrícolas sustentáveis, processamento e comercialização de produtos orgânicos, treinamentos, extensão rural e gestão ambiental, inclusive com trabalhos em fazendas da Europa e Oriente Médio.

É engenheiro agrônomo, tem MBA em Gestão Empresarial, pela FGV de Fortaleza, especialização em Agricultura Biodinâmica na Inglaterra e, dentre outros, especialização Prática em Agricultura Biodinâmica na Itália.

Serviço
XI- Congresso Internacional de Nutrição Clínica e Esportiva Funcional
Período: de 12 a 14 de Setembro de 2013
Horário: das 8h às 19h
Local: Centro de Convenções Frei Caneca SP (Shopping Frei Caneca)
Endereço: Rua Frei caneca, 569 Consolação – São Paulo/SP
Inscrições e Informaçõeswww.vponline.com.br/congresso
Telefone: (11) 3582-5600
Apoios: CBNF – Centro Brasileiro de Nutrição Funcional. SINESP Sindicato dos Nutricionistas do Estado de São Paulo, ASBRAN- Associação Brasileira de Nutrição- APAN- Associação Paulista de Nutrição.
Realização: VP Consultoria Nutricional www.vponline.com.br

 

Fonte: Agrolink