Pecuária

Prevenção ainda é melhor forma de controle da Salmonela

21/03/2018

O combate e prevenção da salmonela movimenta produtores, pesquisadores, técnicos e empresas que buscam novas soluções para controlar a bactéria. A doença é a principal ameaça à avicultura no país e pode ser encontrada, frequentemente, em ovos e na carne do frango.

A doença pertence ao gênero Salmonella, da família Enterobacteriaceae, sendo reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma das principais causas de doenças transmitidas por alimentos. Apenas no Brasil, a bactéria foi responsável por 42,5% dos surtos alimentares entre 1999 e 2009, segundo a Segurança Alimentar e Nutricional (SAN).

O controle da doença é aliado à qualidade da proteína animal que o Brasil produz. Segundo Eduardo Muniz, médico veterinário e gerente de serviços técnicos da Zoetis, no ano de 2017 foi marcado pelo aumento dos alertas rápidos da Europa, incluindo eventos de contaminação na carne brasileira exportada. “Toda produção avícola mundial tem investido para realizar o controle de modo a manter os níveis mais baixos possíveis através de um conjunto de medidas preventivas denominadas biosseguridade”, explica.

Recentemente a legislação brasileira permitiu a vacinação das aves reprodutoras com vacinas vivas atenuadas. O veterinário explica que essa lei, já é usada há décadas em outros países como os Estados Unidos e pode ajudar na redução da contaminação vertical. “A possibilidade de vacinar as reprodutoras é um fato novo e, além disso, é possível vacinar também os pintinhos de corte, o que reduz a contaminação nos órgãos internos das aves”, afirma.

Com objetivo de difundir novos conhecimentos, pesquisas de ponta e debater avanços proporcionados pelo uso de novas tecnologias, o XVII Seminário Técnico Científico de Aves e Suínos tem um painel específico sobre a salmonela. O evento é promovido pelo Instituto Oswaldo Gessulli (IOG) e acontece em Medianeira, São Paulo, entre os dias 1 a 3 de agosto.

Fonte: Agrolink