Notícias

Presidente da Cocamar diz que é preciso avançar para novo patamar de produtividade

28/01/2015

Falando a centenas de associados durante a solenidade de abertura da SafraTec 2015, na manhã de terça-feira (20) em Floresta, região de Maringá, o presidente-executivo da Cocamar, José Fernandes Jardim Júnior, ressaltou a importância de se avançar para um novo patamar de produtividade de soja.

Segundo ele, a cooperativa tem o compromisso de trazer cada vez mais informações aos associados, para auxiliá-los a melhorar seus níveis de produtividade. “Há 30 anos, ficávamos orgulhosos com uma média de 100 sacas por alqueire. Hoje, alcançar 150 sacas é bom, mas já temos associados já passando das 200 sacas por alqueire”, disse. “Por isso”, acrescentou Jardim Júnior, “temos como meta o patamar de 250 sacas por alqueire, que é perfeitamente factível para a nossa região”.

TROCA DE EXPERIÊNCIAS – De acordo com o presidente, a SafraTec oferece uma série de inovações e tecnologias voltadas a melhorar a produtividade da soja. “Temos aqui os melhores fornecedores de todos os produtos necessários para alcançar esse objetivo”, frisou. Para Jardim Júnior, a SafraTec é importante também para uma troca de experiências entre os próprios produtores e técnicos. Por fim, mencionou que os produtores não podem interferir em fatores como o clima, mas depende diretamente deles tomar decisões e iniciativas para o aumento da produtividade de suas lavouras.

Com a participação de mais de 50 empresas parceiras, a SafraTec segue até quinta-feira (22) na Unidade de Difusão de Tecnologias (UDT) da cooperativa, com previsão de ser visitada por mais de 5 mil produtores associados.

ASSOCIADOS – A boa produtividade da soja é uma rotina para o cooperado Arlindo Kinks, de Arapongas, que chegou logo cedo a Floresta. Sua expectativa para a colheita deste ano (2014/15) é de ao menos 150 sacas por alqueire. “Tudo está indo muito bem e a torcida é para que continue assim”, afirmou.

João Pestana, produtor em Terra Boa, também está animado. “Esperamos umas 140 sacas por alqueire”, disse, lembrando que no ano passado, por causa da seca, sua média ficou em 126.

Tanto Kinks quanto Pestana foram à SafraTec com o interesse de ver os protocolos ali apresentados e saber das novidades. “A gente não pode ficar parado, precisa estar sempre indo trás, há sempre novas maneiras de melhorar”, finaliza Pestana.

Fonte: Cocamar