Defensivos

Preços de pesticidas técnicos seguem altos

02/03/2018

Com os serviços de logística paralisados durante o Ano Novo Chinês em fevereiro deste ano, os pesticidas técnicos e intermediários permaneceram em níveis altos em geral em função de que as fábricas não operaram com capacidade total. Depois que terminem as festividades, todos os fornecedores da indústria terão de enfrentar as exigências de ter oferta estável.

Com relação ao mercado de inseticidas, há restrição de oferta de intermediários. As exigências ambientais e de segurança resultaram em uma menor capacidade operativa enquanto que o comércio de todos os produtos está relativamente estável com um preço mais alto. No caso de um importante produto como a Abamectina o preço é de aproximadamente US$ 113.380 por tonelada.

Já o volume de comércio de herbicidas está estável em geral também com um nível alto de preços. Com o estímulo do mercado e apoio de custos, o preço do glifosato técnico se recuperou neste mês e é cotado a um valor de US$ 4015 por tonelada.

Os preços do fungicida técnico triazol subiram um pouco, enquanto que o difenoconazol técnico, o propiconazol e o hexaconazol permaneceram com um nível alto de cotação. Os fornecedores de procloraz e o hymexazol técnicos são restringidos por oferta limitada de intermediários, o que resulta em preços mais altos. O difeconazol, por exemplo, está cotado a US$ 26.218 por toneladas no país asiático. Mas o mais caro dos fungicidas é o Azoxistrobina custando quase US$ 47.250 por tonelada. Com um valor similar está a Piraclostrobina com US$ 45.700 por tonelada.

Fonte: Agrolink