Pecuária

Preço do frango vivo permanece dentro do padrão histórico também em setembro

30/09/2015

Pouco importando qual seja o indicador, dentro de alguns dias, quando a inflação oficial de setembro for divulgada, o frango, com certeza, será mencionado como um dos alimentos que apresentou sensível alta no mês.

Esse atributo (acusação?), entretanto, não chega a representar novidade. Já ocorreu um ano atrás -também no mês de setembro. Ou, retrocedendo um pouco mais no tempo, também em setembro de 2013.

Em resumo, nos últimos três anos, sempre no mês de setembro, o frango vivo atingiu a melhor cotação dos primeiros nove meses do exercício. O que também não chega a representar novidade, pois, na média das duas últimas décadas (1995 a 2014), foi nesse mês que se obteve a maior cotação dos três primeiros trimestres, o resultado de setembro ficando aquém no ano apenas dos registrados em novembro e dezembro.

Sob esse aspecto, portanto, o ocorrido em setembro corrente apenas repetiu o “desempenho histórico”, com diferença mínima. Porque o preço médio do mês ficou 18,6% acima do valor médio do ano anterior, enquanto pelo “desempenho histórico” essa média ficou em 16,6% – diferença de dois pontos percentuais.

Aliás, esse comportamento – pequena diferença em relação à média histórica – também não é novo. Exceto em janeiro e fevereiro deste ano, vem se repetindo sucessivamente, sem diferenças significativas, a partir do mês de março. Assim, nos últimos sete meses, a diferença registrada em relação à média dos últimos 20 anos foi de apenas meio ponto percentual.

Já foi dito, mas não custa repetir, que as curvas em pauta apenas refletem a sazonalidade de preços do frango, um indicador que, por sua vez, está atrelado à sazonalidade de preços das carnes, sobretudo a bovina (ainda que, ultimamente, esta venha apresentando comportamento atípico no tocante ao período de entressafra).

Assim sendo, tais curvas não são indicadoras dos resultados econômicos do produto. Apenas demonstram que os ganhos registrados em setembro não tiveram nada de excepcional ou inesperado.

Fonte: Avisite