Manejo

Pragas e Nematóides

Na área fitossanitária é estudada a interação praga/patógeno – cana – ambiente de produção, usando o desenvolvimento de programas de manejo integrado de pragas (MIP) e de nematóides, para uso adequado, seguro e econômico de medidas de controle. Os estudos contemplam principalmente pragas de solo (cupins, Migdolus, Sphenophorus levis, cigarrinha-das-raízes ) e nematóides (Meloidogyne javanica, M. incognita, Pratylenchus zeae, P. brachyurus). Para tanto são conduzidos experimentos para estimar:

a) Nível de dano econômico e nível de controle de cada praga ou espécie de nematóide;

b) Danos em diferentes variedades, épocas de colheita e ambientes de produção;

c) Eficiência de produtos químicos e biológicos no controle de pragas ou nematóides;

d) Eficiência de medidas físicas e culturais de controle;

e) Comportamento de clones promissores em relação às pragas e nematóides.

Em relação à broca Diatraea saccharalis, os trabalhos buscam basicamente caracterizar clones promissores oriundos do programa de melhoramento Cana – IAC quanto à suscetibilidade/tolerância à praga.

Todos os trabalhos são conduzidos em parceria com usinas/destilarias/fornecedores e empresas de defensivos químicos e biológicos.

 

Leila Luci Dinardo-Miranda
Juliano Vilela Fracasso – Técnico de Apoio

 

Doenças

Todos materiais lançados estão muito bem informados quanto à resistência às principais doenças. Querendo e tentando sempre se faz alguma coisa, e foi isso que fizemos e temos feito. Acompanhando todos os passos dos nossos clones, separando joio do trigo, o que é muito fácil e qualquer um pode fazer ( isto é, separar um clone suscetível de um resistente). A coisa começa complicar, quando a situação é indefinida, meio resistente ou tolerante, aí precisa aplicar os conhecimentos tácitos ou partir para ensaios específicos, para classificar o material em relação aos padrões. É o que temos feito ensaios sobre resistência à ferrugem, carvão, mosaico, raquitismo da soqueira, etc e também observações constantes dos nossos melhores clones, candidatos a futuras variedades, durante dez ou mais anos, cultivados em diferentes ambientes. Assim todas as observações são consideradas, compensadas, discutidas e uma posição é definida. Trabalho esse, que dá muita segurança na caracterização e tomada de decisão sobre os materiais IAC de cana-de-açúcar lançados até o presente.

 

Pery Figueiredo

 

 

Sintomas em raízes infestadas por Nematóides – Figuras 1 e 2


Figura 1: Raízes com galhas

Figura 2: Raízes atacadas por Pratylenchus

Figura3: Cigarrinha-das-raízes em cana-de-açúcar.
Detalhe: Aparecimento de escuma no “pé” da cana

Figura4: Danos causados por Sphenophorus levis

 

Principais doenças na cultura da Cana-de-açúcar

Ferrugem da cana-de-açúcar
Ferrugem é causada por um fungo – Puccinia melanocephala.
Em temperatura do ar mais amena e ata umidade, a proliferação é favorecida. E, em situações mais severas pode haver comprometimento da produtividade, principalmente quando a infecção fúngica acontece na fase jovem da cultura.
Existem variedades resistentes, intermediárias e suceptíveis. O único tipo de controle é o uso de variedades resistentes.

Foto – Sintomas de Ferrugem
Escaldadura
Escaldadura é causada pela bactéria

Contatos e outras informações podem ser obtidos no :
Centro de Cana IAC, em Ribeirão Preto (SP),
com a pesquisadora Leila Luci Dinardo-Miranda
Rodovia Anel Viário, km 321;
telefone (16) 3919-5959 ou pelo e-mail:leiladinardo@iac.sp.gov.br

 

 

Fonte: http://www.iac.sp.gov.br/Centros/CentroCANA/Procana/PROJETOFITOSSANITARIO.htm