Variedades

PR – Coodetec lança 13 novas variedades de soja

Cascavel – Líder em genética da soja, responsável pela pesquisa e desenvolvimento de uma a cada quatro sacas de sementes da leguminosa plantadas no País, a Coodetec – Cooperativa Central de Pesquisa Agrícola – está disponibilizando treze novas cultivares transgênicas para a próxima safra.

“São cultivares recomendadas para as regiões produtoras, com características que atendem às diferentes necessidades do agricultor. Elas incorporam avanços importantes. Além de serem transgênicas e altamente produtivas, agregam alternadamente valores diferenciais como precocidade, resistência ao acamamento e tolerância aos nematóides”, explica o presidente Irineo da Costa Rodrigues.

Novidades para a região Sul

Segundo o Coordenador de Difusão de Soja para o Sul do Brasil, agrônomo Marcelo Rodrigues, este que é o maior portfólio de lançamentos em 36 anos de atuação da Coodetec reserva sete cultivares para a região Sul-Sudeste e seis novas variedades para a região dos cerrados.

A CD 231RR é uma variedade de ampla adaptação (recomendada para plantio do Rio Grande do Sul ao Sul do Mato Grosso do Sul e Sul de São Paulo), com alta sanidade e elevada produtividade. É uma cultivar de ciclo normal (Grupo de Maturação 7.3), e tem sistema radicular agressivo, fatores que a tornam especialmente indicada para regiões como o Sul do Mato Grosso do Sul, Arenito do Paraná, Oeste paulista e regiões Central e Oeste do Rio Grande do Sul, mais sujeitas a instabilidades climáticas ou estiagem. Resiste ao acamamento. É rústica, com ótimo arranque inicial. Esta variedade é tolerante ao nematóide Meloidogyne incognita.

A CD 232 é a única convencional entre todas as novidades para o Sul do Brasil. Cultivar de ciclo normal, altamente produtiva e estável especialmente no Oeste paulista, Arenito do Paraná e Sul do Mato Grosso do Sul. Tolera ao nematóide de galha Meloidogyne incognita.

A cultivar CD 233RR é precoce (Grupo de Maturação 6.4) e recomendada para as regiões quentes e baixas, viabilizando o plantio de milho safrinha. A cultivar CD 233RR é especialmente indicada para as regiões quentes e baixas (Oeste e Norte do Paraná, Centro e Oeste do Rio Grande do Sul, Sul do Mato Grosso do Sul, e Oeste de São Paulo). Apresenta ótimo potencial produtivo e é tolerante ao nematóide de galha Meloidogyne javanica.

A CD 235RR é precoce (Grupo de Maturação 6.4), de crescimento semi-determinado e ampla adaptação, para todo o Sul do País. Além de tolerância ao nematóide Meloidogyne incognita, é uma cultivar resistente ao acamamento. Rende mais grãos por planta, com ótimo peso e tem como destaque o espetacular engalhamento. É excepcionalmente produtiva em regiões frias e altas. Nas regiões quentes e baixas, viabiliza, na sequência, o plantio do milho safrinha.

A CD 236RR é a mais precoce do portfólio de cultivares disponíveis ao agricultor brasileiro do Sul (Grupo de Maturação 6.0). Agrega tolerância aos nematóides Meloidogyne javanica e Meloidogyne incognita. Tem elevado peso de grão e viabiliza o plantio de milho safrinha, na sequência.

A cultivar CD 239RR é semi-precoce (Grupo de Maturação 6.7), tem ampla adaptação (indicada para regiões altas e baixas da chamada região Sul). Tem ótimo arranque inicial, estabilidade produtiva e resistência ao acamamento. É tolerante ao nematóide Meloidogyne incognita.

Já a cultivar CD 241RR é semi-precoce, de crescimento indeterminado (Grupo de Maturação 6.8), indicada para regiões baixas e quentes. Tem como destaque a elevada produtividade na antecipação do plantio (pode ser plantada a partir de primeiro de outubro). Esta variedade também é tolerante ao nematóide Meloidogyne incognita.

Cultivares para o Cerrado:

Segundo o agrônomo Marciliano Gaspre, Coordenador de Difusão de Soja para o Centro Oeste, as novas cultivares de soja Coodetec para o Cerrado atendem às espectativas dos agricultores, que buscam fatores como precocidade, alta produtividade, tolerância aos nematóides de galha e resistência ao acamamento.

De acordo com o Agrônomo, a cultivar CD 240RR,é super-precoce (Grupo de Maturação 6.9). Com hábito de crescimento indeterminado aliado ao excelente potencial produtivo e moderada tolerância aos nematóides de galhas e baixa população, esta cultivar desponta como a melhor opção para os plantios que objetivam sucessão com safrinha de milho e sorgo e áreas irrigadas.

A cultivar CD 242RR é precoce (Grupo de Maturação 7.9), tem alto potencial produtivo e estabilidade para diferentes ambientes, com moderada suscetibilidade aos nematóides de galhas e tolerância aos nematóides de cisto raça 3.

A cultivar CD 237RR é de ciclo médio (Grupo de Maturação 8.0). Tem estabilidade produtiva, ampla adaptação e resistência ao acamamento e tolerância aos nematóides de galhas e cisto raça 3.

A cultivar CD 243RR tem ciclo médio (Grupo de Maturação 8.0). Alia o posicionamento de escalonamento de colheita e potencial produtivo com baixo consumo de sementes, (recomendadas apenas 10 plantas por metro linear em espaçamento de 45 cm entre linhas).

A cultivar CD 245RR é de ciclo médio ( Grupo de maturação 8.2). O porte alto, aliado ao alto potencial produtivo e excelente tolerância aos nematóides de galha, fazem desta cultivar um produto único no mercado com estas características e este ciclo.

A CD 246 é uma cultivar convencional, altamente competitiva, de ciclo médio (Grupo de Maturação 8.1) com porte médio e tolerância aos nematóides de galha. Destaca-se como ótima opção para a agricultura dos Cerrados Brasileiros.

Fonte: Ascom da Coodetec

http://www.agronline.com.br/agronoticias/noticia.php?id=6142