Laranja

Por Dentro da Laranja

O que temos em uma caixa de laranja?

Esse artigo tem como objetivo fornecer ao leitor algum conhecimento relevante sobre a laranja e quais os produtos que obtemos no seu processamento. E a resposta começa pela definição do que é uma caixa de laranja: a reposta é exatamente 40,8 kg de laranja; tem esse valor com vírgula, pois equivale a 90 libras de peso que uma unidade de medida usada na Inglaterra e nos Estados Unidos. Assim uma libra equivale a 0,4543 kg. Em uma caixa de laranja com 40,8 kg temos então os seguintes produtos: O suco é o principal produto da citricultura, e por isso outra pergunta que normalmente fazemos é quanto suco produz uma caixa de laranja? A resposta varia muito por causa do rendimento; que é a quantidade de açúcares e água na laranja; assim outra definição importante surge, é o Brix e a resposta é bastante simples: é percentagem em peso de açúcares em uma solução. Assim uma caixa normalmente produz de 18 a 21 litros de suco variando o Brix entre 12 a 16 quando madura. Outro termo também muito usado nos pomares é o Ratio; que é a tradução do inglês para “relação“‘; ou seja, é a relação entre o brix e a acidez do suco, e a colheita da laranja é liberada quando os índices atendem ao padrão; ponto de maturação; do suco que pretendemos fabricar. Portanto para se fazer uma tonelada de Suco a 65º Brix (FCOJ), precisamos concentrar o suco naturalmente extraído. Dividindo o Brix do suco natural da laranja pelo Brix que queremos e então retirar a água nessa proporção.(Ex: um suco de 14º Brix natural, precisa ser concentrado em 4,64 vezes, ou seja, precisamos de 4.640 kg desse suco para fazer uma tonelada à 65º Brix, como uma caixa produz (40,8 kg x 44,81%), 18,28 kg de suco. Assim: 4.640/18,28 achamos 256 cx laranjas para fazer uma tonelada de suco a 65º Brix. Esses valores como dito anteriormente variam muito de laranja para laranja, mas o importante e entender como é feito o raciocínio dessas contas, para entendermos como é feito o cálculo de rendimento industrial do suco). Durante o processo de industrialização além do suco são gerados vários outros subprodutos com valor comercial. Dentre aqueles que sobressaem temos: os óleos essenciais, o D’Limonene e o farelo de popa. São produtos que tem diferentes aplicações como, por exemplo, a fabricação de produtos químicos e solventes, aromas e fragrâncias, tintas, cosméticos, complemento para rações animais e outras aplicações de menor importância. Vamos apresentar aqui os mais interessantes. Óleos essenciais são produtos que tem aplicação na indústria alimentícia e farmacêutica, podem ser usados diretamente para dar sabor a bebidas, sorvetes e outros alimentos ou ser utilizados na fabricação de cosméticos, como sabonetes e perfumes. Sua remoção é feita por jatos de água enquanto uma centrifugação faz a separação, então as bolsas de óleo da casca das frutas se rompem e a liberação do mesmo.Outro subproduto do processo de industrialização da laranja é o D’Limonene que é empregado em solventes de resinas, borrachas, pigmentos e tintas. Muito usado na fabricação de adesivos, serve também como componente aromático nas indústrias farmacêuticas e alimentícias. Ajuda na obtenção de sabores artificiais de menta e hortelã durante a fabricação de doces, balas e gomas de mascar. É a fração oleosa, incolor e de leve odor cítrico obtida da prensagem do resíduo úmido, casca, bagaço e sementes. Farelo de polpa obtido através do tratamento de resíduos sólidos e líquidos remanescentes da extração do suco, cascas, sementes e polpas. Material equivalente a 50 % do peso de cada fruta, tem a umidade de aproximadamente de 82 %. O produto é peletizado após a trituração, depois secado até a umidade de 12%. Em geral usado como complemento para ração animal, principalmente na bovinocultura de corte e leite. É um produto muito sensível que deve ser muito bem cuidado e armazenado, além de acondicionado para transporte, pois pode fermentar e embolorar rapidamente ficando imprestável para esse fim. Esses produtos acima descritos também são aproveitados e comercializados pelas indústrias. Segundo a Secex no ano de 2003 tivemos as exportações citrícolas assim divididas: As exportações citrícolas, compostas principalmente pelo suco de laranja concentrado e congelado e seus subprodutos, perfizeram 4,47 %, das exportações do agronegócio ou 1,87 % da exportações brasileiras tendo o valor de 1bilhão e 370 milhões de dólares. Assim fica claro que da laranja estamos aproveitando todos os produtos, e isso deve contribuir para melhorar a receita das fábricas e dos produtores envolvidos nessa cadeia produtiva.

Escrito por Ramiro de Souza Lima Neto

Fonte: http://www.agrofit.com.br/portal/index.php?view=article&catid=40%3Aoutros&id=136%3Apor-dentro-da-laranja&option=com_content&Itemid=18