Defensivos

Políticas do MDA podem ajudar no combate ao uso de produtos químicos no campo

09/03/15
O uso de agrotóxicos e de produtos transgênicos foi pauta do encontro entre a secretária-executiva do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Maria Fernanda Ramos Coelho, e o Grupo de Estudos em Agrobiodiversidade (GEA), que reúne pesquisadores, movimentos sociais, sociedade civil e também membros do MDA. A intenção é que sejam debatidas políticas para a agricultura familiar melhorar, cada vez mais, a qualidade dos alimentos vindos do campo.

O professor da Universidade de São Paulo (USP) e representante do MDA na Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), Paulo Kageyama, afirma que a situação dos transgênicos e agrotóxicos no meio rural ainda precisa ser melhorada. “A situação ainda é precária em relação à política do campo, já que o grande predomínio que temos é do agronegócio. Há um apoio substancial às grandes propriedades, com uso de enormes áreas de monocultivo e de uso agressivo de agrotóxico, não premiando adequadamente a agricultura familiar, que tem um menor peso político.”

Paulo acredita que o MDA tem um importante papel nesse processo. “O que a gente quer é fortalecer nossas propostas, fortalecer o que a gente vem debatendo durante esse tempo.”

O professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Rubens Onofre Nodari, que também representa o Ministério na Comissão, reafirma que a solução para combater o uso de produtos químicos no campo pode estar nas políticas públicas. “As políticas do MDA sempre foram pautadas pela tentativa de melhorar a qualidade do alimento produzido no campo. Os transgênicos não contribuem para essa agenda. Então, o MDA desenvolve políticas de apoio à produção agroecológica e orgânica, para que os brasileiros tenham acesso à comida de melhor qualidade.”

Jalila Arabi
Ascom/ MDA